Com liderança do Brasileirão em jogo, clubes precisam driblar a CBF

22
Cuellar
A incompetência da CBF em fazer o calendário tirou o colombiano Cuellar e uma série de jogadores da decisiva rodada do Brasileirão

A edição 2018 do Campeonato Brasileiro tem nesta quarta-feira, 5 de setembro, a abertura de sua jornada de número 23. O torneio chega à sua reta final com a possibilidade de se transformar na mais acirrada disputa pela taça desde que o sistema de pontos corridos foi instalada, em 2003. Os cinco primeiros colocados são separados por apenas seis pontos.

Para dar mais emoção à briga, até a sorte ajudou. Nas duas próximas rodadas estão previstos clássicos nacionais e regionais e confrontos entre os ponteiros. Porém, um grande e habitual inimigo resolveu dar as caras. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), com sua incompetência crônica, resolveu esvaziar o torneio que é responsável por organizar.

Calendário mal feito tira 3 jogadores do Flamengo

Naquele que é um dos principais jogos da quarta-feira, entre o Internacional, vice-líder com 43 pontos, e o Flamengo, terceiro colocado com 41, o rubro-negro perdeu três atletas devido à incapacidade da entidade de estabelecer um calendário minimamente organizado. Ao contrário de todas as principais federações de futebol do planeta, a CBF não respeita as datas que a Fifa (Federação Internacional de Futebol) reserva para os jogos entre seleções.

Dessa maneira, o time carioca não poderá contar no encontro com o Colorado com atletas como o meia Cuellar; o meia Paquetá e o lateral-esquerdo Trauco convocados, respectivamente, pelas equipes nacionais de Colômbia, Brasil e Peru.

Essas são perdas imensas levando em consideração que o clube já não poderia contar com o meia Diego, suspenso, e com o zagueiro Réver, impedido de atuar por ter razões contratuais – foi emprestado ao Flamengo pelo Internacional. Ou seja, em um confronto decisivo, o rubro-negro perdeu metade de sua equipe titular.

Prejuízo atinge outros candidatos e diminui qualidade técnica

Embora seja o exemplo mais grave da situação, o Flamengo não é o único atingido pela incompetência da CBF da qual, diga-se, os clubes são cúmplices, uma vez que aceitam passivamente o calendário que é indicado.

O São Paulo, líder com 46 pontos, que vai enfrentar o Atlético-MG, sexto colocado com 35, não terá o zagueiro Arboleda, que foi chamado pela seleção do Equador. O Galo também terá que lidar com a perda do atacante colombiano Chará.

Arboleda
O São Paulo ficou sem Arboleda para encarar o Galo

Se nesse caso o cenário pode até indicar um equilíbrio na perda em termos de competitividade, acaba provocando uma queda técnica ainda maior em um torneio que não apresenta grande qualidade nesse quesito.

O trio de jogos valendo posições na ponta da tabela de classificação na quarta-feira é composto pelo encontro entre o Palmeiras e o invicto Atlético-PR. O alviverde, que acumula 40 pontos e ocupa o quinto lugar, encara o rubro-negro paranaense, que não é batido há nove partidas e está no nono posto com 27, no Allianz Parque, em São Paulo.

Clássico nordestino vale por luta contra o rebaixamento

As emoções da jornada 23 não estão reservadas apenas para a batalha do título. Em Salvador, o Bahia, que tem 25 pontos e ocupa o décimo quarto posto, recebe o Sport, décimo sétimo colocado e primeiro na zona do rebaixamento com 23, em briga direta por posição na tabela. Também no Nordeste, mas em Fortaleza, o Ceará, que é o décimo nono colocado com 20 pontos, recebe o Corinthians, oitavo colocado com 30, na briga para fugir do rebaixamento para a Série B.

O Sul também tem duelo direto de times que estão no fundo da tabela de classificação. Em Curitiba, o Paraná, lanterna com 15 pontos, recebe a Chapecoense, décima oitava colocada com 21.  A programação de quarta-feira inclui ainda Botafogo x Cruzeiro, no Rio de janeiro. Para quinta-feira, 6 de setembro, estão marcados os jogos Fluminense x Vitória, Santos x Grêmio e América-MG x Vasco.

Felipão
O Palmeiras, de Felipão, é considerado o maior favorito da rodada

Apesar da série invicta de nove jogos (sete vitórias e dois empates) do Atlético-PR, o Palmeiras aparece nas casas de apostas como maior favorito da rodada. Na plataforma de Betfair, por exemplo, tem prêmio de 1,56 para cada real investido em caso de sucesso contra o Furacão.