Santos e Palmeiras ficam no empate; Cruzeiro é o vencedor da quinta

38
Gustavo Henrique Santos

A quinta-feira foi um complemento de rodada cheio de clássicos, um no Rio de Janeiro, outro em São Paulo e se você considerar Cruzeiro e América-MG com esse status, mais um em Minas.

Desses jogos tivemos apenas um vitorioso, o Cruzeiro, que subiu duas posições e agora está a seis pontos do Flamengo. Mas calma que já estou me antecipando. Vamos dar mais destaque ao clássico paulista, mas também com pitacos sobre os outros jogos.

Apenas um empate em Santos x Palmeiras

Depois de Everton fazer gol pelo São Paulo na vitória contra o Flamengo e André marcar pelo Grêmio contra o Atlético-MG, até o tio no boteco estava falando sobre a lei do ex. Pois bem, é claro que isso aconteceria contra o Santos, o time que mais levou gol de ex-jogador na história da humanidade.

Em um contra-ataque óbvio para uma equipe que jogava com quatro atacantes e apenas um volante marcador, o Santos viu Lucas Lima girar na área, lugar que ele tem basicamente nojo de pisar, e chutar no canto. E ainda ir comemorar perto da torcida, apontando para seu nome e batendo no escudo do Palmeiras, onde ele joga há seis meses.

Lucas Lima Palmeiras
Lucas Lima aproveitou o gol para dar uma provocada na torcida de seu ex-time

O Palmeiras poderia ter dominado o jogo, já que tinha um meio-campo bem formado, com quatro jogadores de bom toque de bola contra uma equipe completamente desorganizada, que parece que não faz nada entre os jogos. Os treinos de Jair Ventura devem ser uma maravilha.

Mas Roger Machado quis brigar com Jair pelo título de pior treinador no clássico e o Palmeiras claramente recuou. Claro que aproveitar o contra-ataque é uma boa ideia. Mas correr riscos não. O Santos teve chances, mas Gabriel Barbosa teve sérios problemas com a bola e as esperanças Rodrygo e Bruno Henrique jogaram mal.

No segundo tempo a intensidade começou a aumentar e o Santos finalmente chegou ao gol em bola parada que bateu no travessão e sobrou para o gigante Gustavo Henrique fazer um peixinho desengonçado com o gol livre.

O gol acordou o Palmeiras e Roger percebeu que três pontos valem mais que um. Não que colocar Deyverson fosse mudar algo, mas fazer seu time se impor em campo depois de jogar de forma covarde mais uma vez ajudou o Palmeiras a criar chances no fim do jogo. No último lance, em bola arremessada da lateral, Jean ficou livre na pequena área mas chutou na trave.

A verdade é que nenhum dos dois times merecia a vitória. O Santos foi uma bagunça completa taticamente, mostrando que o mês para a parada da Copa pode ter sido completamente desperdiçado. A única esperança agora são os novos reforços, Bryan Ruiz e Carlos Sánchez e a imposição do elenco para criar alguma espécie de entrosamento, jogadas ensaiadas e padrão tático.

Já o Palmeiras, mesmo tendo um time claramente superior ao adversário, parece não ter em seu estilo de jogo, ou pelo menos um treinador, que goste de dominar a partida, criar chances de gol de forma constante e vencer jogos por mais de um gol. Para fazer 1 a 0 e entregar a bola para o adversário não precisa ter investimento multimilionário e dois jogadores por posição.

Cruzeiro é o grande vencedor do dia

A fama do Cruzeiro começa a fazer total sentido em campo. Depois de ver o América-MG fazer 1 a 0, o time conseguiu empatar logo e virar no segundo tempo. Arrascaeta, que muitos achavam que sairia depois de ir para a Copa pelo Uruguai, Robinho e Raniel fizeram os gols.

A equipe assim encerrou uma sequência de três rodadas sem vencer e mesmo em sexto está a seis pontos do líder Flamengo, que perdeu na rodada. Ou seja, o time está muito vivo no Brasileiro, além de presente nos mata-matas da Copa do Brasil e Libertadores.