Cruzeiro x Corinthians: análise, escalações e dicas

158
mineirão estadio

O primeiro jogo da final da Copa do Brasil 2018, entre Cruzeiro e Corinthians, será realizado na noite desta quarta-feira no Mineirão. O favoritismo é do time da casa, pagando 1,57 para 1 na Betfair, contra 6,5 da vitória da equipe paulista.

Esses números procedem, ainda mais que estamos falando do Corinthians, uma equipe que está acostumada a vencer títulos nos últimos anos? É o que vamos ver abaixo.

Corinthians precisa pensar bem em sua estratégia

Depois da saída de Fábio Carille e especialmente nos últimos dois meses, o futebol do Corinthians encolheu até níveis preocupantes. A eliminação na Libertadores para o fraco Colo-Colo e derrotas como a de sexta, 3 a 0 contra o Flamengo em casa, deixam o torcedor muito ressabiado.

Portanto, ter chegado na final da Copa do Brasil já foi algo para grande comemoração, já que o time era considerado mais fraco que o Flamengo e depois de um jogo vergonhoso no Rio, onde abdicou de jogar, mas conseguiu bom resultado (0 a 0), conseguiu matar a eliminatória em sua casa.

Corinthians comemora
O Corinthians teve competência para matar o Flamengo em São Paulo.-Agora o buraco é mais embaixo

Agora, usar a mesma estratégia do Maracanã no Mineirão será um grande erro, já que o time de Mano Menezes é melhor treinado e tecnicamente superior que o Flamengo.

Com o trio Robinho, Rafinha – substituindo o uruguaio De Arrascaeta, na única dúvida que existia – e Thiago Neves, mais Barcos na frente, o time mineiro terá obrigação de atuar com a bola e agredir, algo que muitas vezes abre mão para jogar no contra-ataque. Os homens de frente tem a capacidade de triangular, abrir espaços e criar chances e provaram isso em todos os jogos recentes de mata-mata, inclusive quando perderam.

A transição rápida não deve estar lá porque o Corinthians atuará fechado. A questão aqui é que o time precisa sair mais e melhor que contra o Flamengo.

A escalação terá Cássio, Fagner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf e Gabriel; Romero, Jadson, Mateus Vital e Clayson

Ou seja, a equipe atuará sem a referência, algo que foi feito até por Carille. Com dois volantes típicos, fica clara a intenção de segurar o trio de meio-campo do Cruzeiro. Cabe a Jadson conseguir ser o passe rápido inicial para o contra-ataque e Mateus Vital, Clayson e Romero em menor grau, serem as flechas.

O Corinthians não tem muito como fugir de uma postura conservadora, só não pode ser covarde, como foi no Rio. O grande perigo do jogo do Mineirão é falhar defensivamente e ser obrigado a sair para o jogo para não levar um resultado horrível para Itaquera.

Jair Ventura já deu provas no Botafogo e Santos que pensar ofensivamente não é com ele, mesmo quando o time tem peças que podem fazer mais pelo ataque.

Cruzeiro não pode pensar em outra coisa

Barcos Cruzeiro
Cruzeiro precisa marcar. Contra o Palmeiras, Barcos correspondeu. Agora o time precisa dele contra o Corinthians

O Cruzeiro irá fazer o jogo de ida em casa pela primeira vez nos mata-matas vitais deste segundo semestre. Contra o Santos começou na Vila, contra o Palmeiras no Allianz Parque e contra o Boca na Bombonera.

Isso altera bastante, porque o time de Mano Menezes conseguiu apenas se segurar em casa depois de ter vencido fora contra os paulistas. Então pegando o jogo do Boca, que a equipe precisou fazer resultado no Mineirão, dá para seguir a mesma fórmula.

Ninguém vai negar que o Cruzeiro criou chances contra os argentinos no primeiro tempo e começo do segundo, quando fez o gol com Sassá. A intensidade precisa ser a mesma, porque se o time mineiro for para São Paulo com apenas um empate ou mesmo um gol de vantagem, pode cair no jogo traiçoeiro do Corinthians dos últimos anos.

Então mesmo que você não confie em vitória do Cruzeiro por mais de um gol – 3,1 para 1 – uma aposta interessante pode ser número de escanteios, apostando em mais de 10,5. Paga 1,86 para 1 na Betfair.