Prêmio Bola de Prata 2018: Os melhores do Brasileirão

120

A temporada 2018 do futebol no Brasil chegou ao fim, e é hora de olhar para trás e ver quem foram os grandes destaques no Brasileirão dentro e fora de campo! A tradicional premiação Bola de Prata decide a seleção do campeonato com os onze jogadores melhores avaliados em cada posição ao longo do ano, além de entregar troféus para o melhor técnico, melhor árbitro, melhor jogador, artilheiro do campeonato e autor do gol mais bonito.

Como não poderia ser diferente, o time que mais contribuiu com atletas para a seleção do Brasileirão foi o Palmeiras, com quatro jogadores – o goleiro Weverton, o lateral-direito Mayke, o volante Bruno Henrique e o atacante Dudu, que também levou para casa a Bola de Ouro, troféu dado ao melhor jogador do campeonato. Além disso, o técnico vencedor também foi o do Verdão, Luiz Felipe Scolari.

Os outros times que mais tiveram jogadores eleitos para a seleção do campeonato foram Flamengo, Grêmio e Internacional, com dois jogadores cada. O rubro-negro carioca viu o lateral-esquerdo Renê e o meia Lucas Paquetá representarem o clube na lista dos melhores, enquanto que o tricolor gaúcho emplacou o zagueiro Pedro Geromel e o atacante Everton entre os onze.

Geromel, aliás, estabeleceu um novo recorde, sendo eleito para a seleção do Brasileirão pelo quarto ano consecutivo. O Colorado, por sua vez, contribuiu com o zagueiro Victor Cuesta e o volante Rodrigo Dourado.

O jogador que completa a lista dos onze é também o artilheiro do campeonato, Gabriel Barbosa, o Gabigol do Santos, responsável por 18 tentos – aliás, reafirmando o Peixe como celeiro de goleadores, já que Gabriel é o oitavo santista na história a ganhar o prêmio. Até mesmo o segundo colocado de 2018, Ricardo Oliveira, que balançou as redes 13 vezes, é também ex-jogador do Santos.

Numa categoria nova, foi eleito também o melhor árbitro do campeonato, prêmio que ficou com o paranaense Rafael Traci. Ele ainda sequer é árbitro FIFA, mas foi o primeiro colocado da mais recente premiação dentro do Bola de Prata. Convenhamos que, afinal, o melhor árbitro é aquele que menos chama a atenção em um jogo, certo? Traci apitou jogos importantes no campeonato como Flamengo X Palmeiras no segundo turno e também o jogo Vasco X Palmeiras, que deu o título ao Verdão.

Não menos importante foi o prêmio de gol mais bonito do campeonato, concedido ao centroavante Wescley, do Ceará. O tento premiado foi contra o Corinthians, num empate em 1×1 em Itaquera ainda na quarta rodada, lá em maio. A matada no peito seguida de um chutaço no ângulo, sem deixar a bola cair no chão, garantiu mais de 60% dos votos para Wescley.

Weverton, Felipão, Mayke, Dudu e Bruno Henrique: os cinco palmeirenses premiados. Foto: Francisco De Laurentiis

História do Bola de Prata

A ideia de criar um prêmio para ser distribuído entre os melhores do campeonato surgiu com os jornalistas Michel Laurence e Manoel Motta e se tornou realidade através da Revista Placar, responsável por tudo até 2016, quando a publicação foi comprada pela Editora Caras, que vendeu os direitos da premiação para a ESPN, que é responsável desde então.

Rogério Ceni, lenda do São Paulo e atual técnico do mais novo campeão da série B, o Fortaleza, detém o recorde de bolas de prata: foram seis conquistas no total para o goleiro, entre 2000 e 2008. Logo atrás vêm Zico, Júnior e Renato Gaúcho, com cinco prêmios cada um. Somando todos os prêmios do Bola de Prata, o eterno Galinho Zico do Flamengo é dono de impressionantes 9 troféus.

Quando da criação do prêmio, ainda em 1970, ficou decidido que o Rei Pelé seria para sempre hors concours, ou seja, ficaria de fora da competição anual por simplesmente já ter escrito seu nome para sempre no mural das lendas – feito igualado por Neymar em 2012.

Comentários do Facebook