Flamengo visita Atlético-MG em duelo do topo da tabela

70
Henrique Dourado Flamengo

Uma das maiores rivalidades entre times de estados diferentes, Atlético-MG e Flamengo se enfrentam neste sábado (21h de Brasília), no estádio Independência, com o vencedor se tornando o líder – a menos que exista uma combinação de resultados – do Campeonato Brasileiro após a 7ª rodada.

O Galo tem 13 pontos, dois a mais que o Flamengo, que neste momento ocupa a segunda posição por ter melhor saldo de gols (6) que Corinthians e Palmeiras (5). O campeonato ainda está todo embolado, com três equipes com 10 pontos ainda. Mas uma vitória, independente do lado, tem um fator psicológico grande.

Curiosamente, ambos os times têm treinadores jovens que estão em período de experiência. Thiago Larghi continua como interino, mesmo tendo assumido logo no começo do Campeonato Mineiro após a saída de Oswaldo de Oliveira. Já Maurício Barbieri assumiu após a demissão de Paulo César Carpegiani depois de Renato Gaúcho recusar a proposta do time carioca.

Então aqui está mais um fator para deixar esse jogo quente: uma vitória pode dar confiança para diretoria e torcida que a solução caseira é a melhor possível.

O Atlético-MG continua querendo se provar

Na semana passada tínhamos dito que a equipe de Thiago Larghi precisava enviar um sinal para sua torcida, depois das eliminações na Copa do Brasil e Copa Sul-Americana e a derrota na final do estadual para o Cruzeiro.

Pois bem, o time venceu o grande rival de estado na 6ª rodada por 1 a 0, mas o Cruzeiro estava com o time reserva. Ou seja, a pressão diminuiu um pouco, mas a torcida não está de boa só por esse triunfo. Agora, uma vitória contra o Flamengo e poder abrir vantagem na liderança, ou pelo menos conservar os dois pontos de diferença, começam a deixar o torcedor mais tranquilo.

Ainda mais que o rival é o rubro-negro carioca, que ainda está entalado na garganta, mesmo quase quatro décadas depois dos polêmicos e históricos duelos no Campeonato Brasileiro e Copa Libertadores. Só citar o nome do ex-árbitro José Roberto Wright causa coceira nos atleticanos.

Luan Atlético-MG
Luan será titular contra o Flamengo e como sempre será uma fonte de energia para o time

A equipe do Atlético em campo será a mesma que jogou contra o Cruzeiro, só com Gustavo Blanco no lugar de Elias. O atacante Ricardo Oliveira não participou junto com o time de algumas atividades, mas está confirmado para o jogo também. E isso é de grande importância, já que o veterano tem 11 gols na temporada – quase o mesmo que fez em 2017 pelo Santos – e faz boa dupla com Róger Guedes, que recuperou seu bom futebol.

E o Flamengo também precisa de aprovação

A relação do Flamengo com sua gigante torcida também é instável, mas agora parece ter atingido um ponto mais positivo. A equipe se classificou na Libertadores e apesar de ter sido na segunda posição, fez um bom jogo contra o River Plate na Argentina, empatando sem gols. Até podia ter vencido e trazido a liderança do grupo se fosse mais agressivo.

Além disso, alguns jogadores parecem ter melhorado de fase, como Éverton Ribeiro e o torcedor pode se identificar com jogadores da base tendo maior espaço, com Lucas Paquetá e Vinícius Junior como principais casos. Paquetá, inclusive, foi colocado pelo técnico Tite na lista de 12 jogadores “extras” na convocação para a Copa do Mundo.

O meio-campista caiu de rendimento nas últimas semanas – pode ser argumentado que ele está sendo muito usado – e o time precisará dele contra o Galo, assim como do resto do meio de campo e o atacante Henrique Dourado para segurar a posse de bola.

A razão para falar isso é que a zaga do Flamengo estará muito desfalcada. Juan e Réver estão lesionados e Rhodolfo está suspenso. Ou seja, os garotos Léo Duarte e Thuler, de 21 e 19 anos respectivamente, serão os titulares. Cabe ao meio-campo não deixar a bomba estourar e permitir o um contra um dos inexperientes jogadores contra o veteraníssimo Ricardo Oliveira, o inesgotável Luan e o rápido e oportunista Róger Guedes.