Real Madrid ameaça domínio rubro-negro no Brasileirão

30
Fluminense x Flamengo
O Flamengo derrotou o Fluminense e abriu cinco pontos de vantagem na liderança do Brasileirão

Faltam duas jornadas para o final da primeira etapa do Campeonato Brasileiro, que será interrompido a partir de 14 de junho até 15 de julho para a realização da Copa do Mundo da Rússia de 2018. O Flamengo, que derrotou o Fluminense, por 2 a 0, na décima rodada, abriu vantagem de cinco pontos em relação ao Sport, segundo colocado, e dificilmente deixará de passar o período de ‘férias’ na ponta da tabela de classificação.

Os maiores rivais do rubro-negro carioca, no entanto, estão mais abaixo. O Palmeiras, considerado pela maioria dos analistas como maior favorito ao título, com a excelente vitória sobre o Grêmio, por 2 a 0, em Porto Alegre, saltou para o terceiro lugar com 17 pontos. A pontuação é a mesma do Atlético-MG, quarto colocado; Cruzeiro, quinto; e São Paulo, sexto, que só levam em desvantagem quando são usados os critérios de desempate.

Novela Vinícius Júnior entra em cartaz

Porém, a história mostra que a vantagem inicial nem sempre é confirmada. Os clubes ainda não enfrentaram aquela que costuma ser a maior dor de cabeça para seus técnicos: a janela de transferência do verão europeu. Com condições financeiras bem superiores, o clubes do Velho Continente são capazes de fazer estragos em elencos que sinalizam ser capazes de chegar ao título.

Vinícius Júnior
A saída de Vinícius Júnior para o Real Madrid parece ser a maior ameaça ao sucesso rubro-negro

No caso específico do Flamengo, o negócio já está fechado. O atacante Vinícius Júnior foi vendido para o Real Madrid. A novela, agora, tem como enredo o momento da ‘entrega’ daquele que tem sido um dos principais responsáveis pela excelente campanha do rubro-negro no primeiro semestre.

Existe a possibilidade de que o atleta deixe o clube imediatamente, ainda que o Flamengo tente garantir sua permanência ao menos até o final do ano. Ainda tem três títulos em disputa. Além de liderar o Brasileirão, está nas oitavas de final da Copa Libertadores da América e nas quartas de final da Copa do Brasil. Terá pela frente, respectivamente, Cruzeiro e Grêmio nessas competições.

Árabes também fazem sombra aos favoritos

Porém, dessa vez não é só o mercado europeu que ameaça mexer com a relação de forças no Campeonato Brasileiro. Impulsionado por fortes investimentos do governo local, os clubes da Arábia Saudita encontram no futebol brasileiro possibilidades de adquirir jogadores com facilidade aproveitando-se da necessidade que os brazucas apresentam para fechar seus balanços.

Otero
Antes mesmo da paralisação do Brasileirão para a Copa da Rússia, Otero abriu a debandada de jogadores

O Corinthians foi vítima dessa nova etapa árabe. Perdeu o técnico Fábio Carille, que conquistou o título nacional na temporada passada e neste ano abocanhou o bicampeonato paulista. Foi só o começo. O Atlético-MG vendeu o meia Otero perdendo um de seus mais importantes finalizadores e criadores de jogadas perigosas a partir de cobranças de falta e escanteios. O meia Valdívia, que está no São Paulo, mas tem seus direitos econômicos vinculados ao Internacional já pegou sua senha e em breve também deve deixar o país.

Mesmo com as contas em dia, Palmeiras pode perder atletas

Dinheiro não tem sido problema no Palmeiras. Contudo, ainda assim o time pode virar alvo de abalos durante a paralisação para o Mundial da Rússia. O atacante colombiano Borja, que depois de um turbulento período de adaptação, passou a se mostrar valioso para o elenco alviverde é um dos que tem potencial para negociação.

Borja
O desempenho do colombiano Borja na Copa pode abrir ainda mais os olhos para sua contratação

Sem ele, o clube tem sentido dificuldades em encontrar um homem de área com características similares. Há também o outro lado dessa balança. A pausa do torneio conta para definição da situação do meia Gustavo Scarpa, que depende de decisão judicial para poder reforçar o time no segundo semestre.

Até mesmo o Sport, que a princípio seria entre os clubes do G4 aquele com mais condições de ter benefícios durante a paralisação, pois isso daria tempo ao técnico Claudinei Oliveira, que assumiu o time durante a disputa do Brasileirão, tempo para implantar suas ideias, também pode sofrer abalos e ainda ficar de mãos abanando. Tem em seu elenco uma série de atletas emprestados por outros clubes que certamente vão tentar encaixá-los em oportunidades de negócios nesta janela de transferência para que possam reforçar seu caixa.