Classificado, Grêmio quer garantir 1ª posição nesta quarta

25
Ramiro Gremio

Com um 5 a 0 contra o Cerro Porteño em casa e a vitória no último lance contra o Monagas fora, o Grêmio conseguiu sua classificação para o mata-mata da Copa Libertadores com folga. Porém, ainda falta algo muito importante a garantir: a primeira posição do Grupo 1.

O rival nesta quarta-feira será o Defensor, que conseguiu empatar com o time gaúcho na primeira rodada, lá em fevereiro, mas desde então bateu apenas o Monagas e não fez mais nada. Eliminado, a equipe uruguaia pode pelo menos ir para a Copa Sul-Americana caso se mantenha na terceira posição. O Monagas, com três pontos, dificilmente vencerá o Cerro no Paraguai também hoje.

A importância da primeira colocação

A Copa Libertadores já deu mais importância para os primeiros colocados, especialmente os donos das melhores campanhas na fase de grupos. Antes, o que tinha mais pontos nessa fase pegaria o pior segundo colocado (1º contra 16º), com vantagem de mando para o primeiro.

Ou seja, nesta edição, o Palmeiras, que teve 16 pontos, pegaria o Colo-Colo, que tem apenas sete com mais um jogo a disputar. O segundo enfrentaria o 15º e assim por diante.

Mas a partir deste ano acontecerá um sorteio, assim como ocorre na Champions League. Então o melhor primeiro colocado pode pegar o melhor segundo, por exemplo.

Bom, parece que contrariei o título, não é mesmo? Calma lá. Ainda é importante ser o líder de sua chave porque a segunda partida será disputada nos seus domínios e enfrentar um segundo colocado é melhor que correr o risco de pegar os primeiros. Para o Grêmio seria péssimo ver o Cerro passar nesta quarta e no sorteio pegar um Palmeiras ou Corinthians. E pode ter certeza que Palmeiras ou Corinthians também odiariam enfrentar o Grêmio logo nas oitavas.

E ainda há a possibilidade do Grêmio ser o segundo melhor líder, dependendo do resultado do River contra o Flamengo. Isso significa que em todos os mata-matas, menos contra o Palmeiras, a decisão será na Arena do Grêmio.

Ou seja, a mudança de regra tirou um pouco da importância de ser o líder do grupo. Mas ainda tem seus benefícios.

Renato Portaluppi Gremio
Renato vai ter trabalho para montar o time que irá a campo contra o Defensor

Grêmio tem muitos desfalques

É sempre bom ver seu jogador ser convocado para a Copa do Mundo. Mas quando chega a hora do jogo e ele não pode estar lá, a animação com a convocação dá aquela sumida. O tricolor terá que ir a campo sem Pedro Geromel na zaga. E não só ele, deixando o treinador Renato Portaluppi com bastante trabalho.

Jael está machucado, Hernane ainda não está 100% e André, que chegou no meio da campanha, ainda não pode estrear na Libertadores. Muito se fala de uma improvisação com Thonny ou Cícero no comando do ataque.

Arthur, Everton e Alisson também são desfalques e Bruno Cortez será poupado. Marcelo Oliveira deve entrar na lateral e Luan pode ganhar a companhia de Maicossuel ao seu lado.

Ou seja, Luan vai ter que assumir mais responsabilidades, inclusive para balançar as redes, coisa que o Grêmio não conseguiu nos dois últimos jogos do Brasileiro, depois de ter lavado a alma contra o Santos (5 a 1).

O Defensor também tem seus desfalques: Ernesto Goñi está suspenso pelo terceiro cartão amarelo e o goleiro Guillermo Reyes, com dores na região cervical, não viajou para Porto Alegre.

O Grêmio tem obrigação e a motivação para vencer, para não ter que ficar de olho no que acontece no Paraguai entre Cerro Porteño e Monagas.