Palmeiras evita dor de cabeça e está no controle do Brasileirão

8
Dudu Palmeiras

Depois de perder de 2 a 0 do Boca Juniors na partida de ida da Copa Libertadores, o Palmeiras poderia se afundar ainda mais caso perdesse para o Flamengo no Maracanã. Uma derrota rubro-negra traria a diferença para um ponto apenas com sete jogos restando.

Mas apesar dos desfalques e o fato do jogo estar “ensanduíchado” pelos dois jogos da Libertadores, quem saiu na frente no Maracanã foi o time paulista. E apesar do empate do Fla com Marlos Moreno, não tem como tirar o gosto amargo dos cariocas e o sentimento de ever cumprido do alviverde.

Vamos aos tópicos então.

Era a melhor chance do Flamengo

Apesar de em um campeonato de pontos corridos toda vitória valer três pontos, os confrontos diretos ainda são vitais. Primeiro porque você pode ganhar três pontos e zerar o rival ao mesmo tempo. Segundo, o fator psicológico.

Depois de se prolongar de forma indesculpável na era Mauricio Barbieri, o Flamengo finalmente fez a troca e Dorival Junior engatou uma sequência de vitórias convincentes. E sem outro campeonato para disputar, o rubro-negro conseguiu se colocar como candidato novamente.

O problema é que o Palmeiras não perde. Aliás mal empata também. Então tirar três pontos no confronto direto seria a melhor chance do Flamengo de cortar vantagem e jogar com o fator psicológico: o cangote alviverde estaria levando uma bela fungada.

Palmeiras sai na frente

Com o Maracanã lotado era de se esperar que o time da casa partisse para cima na pressão, mas o Palmeiras não sofreu com esse ímpeto no primeiro tempo. A criação flamenguista estava pouco inspirada. E em uma bola lançada no segundo tempo, Pará perdeu o tempo de bola e Dudu foi o Robben destro. Cortou para dentro, chutou no canto e partiu para o abraço.

O Palmeiras comemorou muito e com razão: o time foi vazado poucas vezes com Felipão e com aquele gol de Dudu e a distância aumentando para sete pontos para Inter e Flamengo, o campeonato estava basicamente decidido.

Flamengo começa pressão

A entrada de Marlos Moreno mudou o jogo e os cariocas ganharam profundidade. Antes, Lucas Paquetá foi fominha em um chute que poderia ter rolado para o meio para Uribe fazer o gol.

Moreno compensou, driblando na esquerda e chutando forte no canto de Weverton para terminar com um jejum de gols pessoal que durava desde 2016.

O que Paquetá foi fominha, Moreno não foi ao rolar de forma excelente para o meio-campista, que sozinho, na frente do gol, com a perna boa, isolou de forma ridícula. Esse gol perdido pode decidir o torneio.

Lucas Paquetá Flamengo
Marlos Moreno fez sua parte, mas Lucas Paquetá falhou quando teve a bola do jogo em lance até fácil. Erro pode custar muito caro

O lance é representativo de um Flamengo que teve toda a estrutura e chance para vencer este campeonato, já que montou um elenco caro. Mas as peças não foram bem aproveitadas, o elenco não foi trabalhado nas sequências mais duras do ano – o mês de agosto foi fundamental – e mesmo com toda a incompetência, o Brasileirão estava ali para ser “roubado” em um quase pênalti com a bola rolando.

Palmeiras está com o domínio

O único ponto positivo de uma provável eliminação na quarta é que o Palmeiras poderá agarrar o Brasileirão como se não houvesse amanhã e assim evitar um ano trágico, onde investiu muito, colocou as expectativas lá em cima e pode sair sem nada.

Com quatro pontos de vantagem para o Flamengo e cinco para um Inter que parece ter chegado no seu teto, o campeão brasileiro de 2018 nem precisa pensar nos outros para a conquista em 2018, só em si.

Restam Santos em casa (vitória do Palmeiras paga 1,72 para 1 na Betfair), Atlético-MG fora, Fluminense em casa, Paraná fora, América-MG em casa, Vasco fora e Vitória em casa.

O Flamengo terá São Paulo fora (vitória do Fla paga 2,87 para 1 na Betfair), Botafogo com mando dos rivais, Santos em casa, Sport fora, Grêmio em casa, Cruzeiro fora e Atlético-PR em casa.

A chance estava ali, no sábado. Agora ficou muito mais difícil.