Considerado o estadual com melhor formato de disputa por grande parte dos analistas, o Campeonato Mineiro resolveu mudar para sua edição 2018. Pressionada pelos times de pequeno investimento, a Federação Mineira de Futebol cedeu aos desejos das equipes e dobrou o número de classificados para a segunda fase da competição.

Com 12 clubes, o torneio é disputado em turno único. Ao final da primeira fase, composta por 11 rodadas, em vez dos quatro que se classificavam para as semifinais, agora serão oito clubes. Isso fez com que mais uma fase, a de oitavas de final, fosse criada. No entanto, a disputa dessa etapa não será em sistema de ida e volta, mas sim de jogo único com mando de campo do time que conseguir maior pontuação no estágio classificatório. O rebaixamento continua atingindo apenas os dois últimos colocados.

Primeira rodada tem partidas na quarta e quinta-feira

Com um calendário mais enxuto devido à disputa da Copa do Mundo da Rússia, o torneio vai começar nesta quarta-feira, 17 de janeiro, com a realização de cinco partidas. São elas: América x Patrocinense (19h30, horário de Brasília), Tombense x Villa Nova (20h), Democrata-GV x Caldense (20h30), Uberlândia x URT (20h30) e Cruzeiro x Tupi (21h45).

Fred deixou o Atlético para vestir a camisa do Cruzeiro, clube onde se destacou e virou ídolo

A jornada será complementada na quinta-feira, 18 de janeiro, com Boa Esporte x Atlético. O clássico entre Cruzeiro e Atlético está agendado para 4 de março no estádio Independência, em Belo Horizonte. As semifinais estão programadas para 21 e 25 de março e as partidas decisivas estão marcadas para 1 e 8 de abril.

Atlético reduz gastos e dispensa veteranos

Atual campeão, o Atlético terá uma equipe bastante alterada em relação à temporada 2017. O clube teve mudança de direção e os novos cartolas resolveram reduzir drasticamente as despesas. Isso significou, por exemplo, a dispensa de veteranos como os atacantes Fred e Robinho e o lateral-direito Marcos Rocha.

As contratações buscaram remodelar o elenco, mas não fecharam as portas para atletas mais experientes. Para a vaga de Fred, os dirigentes fecharam com Ricardo Oliveira, ex-Santos. A grande motivadora dessa ‘troca’ foi a folha de pagamento. O novo contratado terá custo de aproximadamente um terço do que era gasto com o antigo titular do comando de ataque.

Ricardo Oliveira
Sem ter renovado contrato com o Santos, Ricardo Oliveira assinou compromisso de dois anos com o Galo

O treinador, contudo, não mudou. Terceiro técnico do Atlético na temporada 2017, Oswaldo de Oliveira foi mantido no posto apesar de ter fracassado na missão de alcançar uma vaga na Copa Libertadores da América. Pela primeira vez em cinco anos o Galo ficará fora da principal competição de clubes do continente.

Cruzeiro mantém técnico e envelhece elenco

O Cruzeiro seguiu a mesma linha que o grande rival. Manteve o comando técnico. Mano Menezes teve o contrato renovado após entregar na temporada 2017 a conquista da Copa do Brasil. No entanto, atletas promissores foram perdidos. Saíram o lateral-esquerdo Diego Barbosa e o atacante Alisson. Além do volante Hudson, que foi emprestado pelo São Paulo e não teve sua contratação efetivada por falta de acordo entre os clubes.

No entanto, o número de contratações foi maior e mais significativo. O reforço de maior destaque foi justamente Fred, dispensado pelo Galo. Ídolo do clube, o artilheiro voltará a vestir a camisa da Raposa. Entre as novidades estão ainda veteranos como o lateral-direito Edílson, o lateral-esquerdo Egídio e o volante Bruno Silva, todos com mais de 30 anos.

A aposta na experiência foi feita na busca de amadurecer o time para a disputa da Copa Libertadores da América. O torneio será a prioridade cruzeirense e deve fazer com que Mano Menezes use o Campeonato Mineiro para promover o revezamento de seu elenco.

Lista de todos os Campeões Mineiros

 Ano  Campeão
2017 Atlético
2016 America
2015 Atlético
2014 Cruzeiro
2013 Atlético
2012 Atlético
2011 Cruzeiro
2010 Atlético
2009 Cruzeiro
2008 Cruzeiro
2007 Atlético
2006 Cruzeiro
2005 Ipatinga
2004 Cruzeiro
2003 Cruzeiro
2002 Supercampeonato Cruzeiro
2002 Estadual Caldense
2001 América
2000 Atlético
1999 Atlético
1998 Cruzeiro
1997 Cruzeiro
1996 Cruzeiro
1995 Atlético
1994 Cruzeiro
1993 América
1992 Cruzeiro
1991 Atlético
1990 Cruzeiro
1989 Atlético
1988 Atlético
1987 Cruzeiro
1986 Atlético
1985 Atlético
1984 Cruzeiro
1983 Atlético
1982 Atlético
1981 Atlético
1980 Atlético
1979 Atlético
1978 Atlético
1977 Cruzeiro
1976 Atlético
1975 Cruzeiro
1974 Cruzeiro
1973 Cruzeiro
1972 Cruzeiro
1971 América
1970 Atlético
1969 Cruzeiro
1968 Cruzeiro
1967 Cruzeiro
1966 Cruzeiro
1965 Cruzeiro
1964 EC Siderúrgica
1963 Atlético
1962 Atlético
1961 Cruzeiro
1960 Cruzeiro
1959 Cruzeiro
1958 Atlético
1957 América
1956 Atlético e Cruzeiro
1955 Atlético
1954 Atlético
1953 Atlético
1952 Atlético
1951 Villa Nova
1950 Atlético
1949 Atlético
1948 América
1947 Atlético
1946 Atlético
1945 Cruzeiro
1944 Cruzeiro
1943 Cruzeiro
1942 Atlético
1941 Atlético
1940 Palestra Itália
1939 Atlético
1938 Atlético
1937 EC Siderúrgica
1936 Atlético
1935 Villa Nova
1934 Villa Nova
1933 Villa Nova
1932 Atlético
1932 (1) Villa Nova
1931 Atlético
1930 Palestra Itália
1929 Palestra Itália
1928 Palestra Itália
1927 Atlético
1926 Atlético
1925 América
1924 América
1923 América
1922 América
1921 América
1920 América
1919 América
1918 América
1917 América
1916 América
1915 Atlético

 

Comentários do Facebook