10 jogadores que Tite deveria testar na Seleção Brasileira em 2019

53

Como sempre acontece, a convocação mais recente da Seleção Brasileira deu deixa para muito chiado de todos os lados – como não poderia deixar de ser. A verdade é que, mesmo nos momentos mais complicados e supostamente inférteis do futebol brasileiro, talento é uma coisa que nunca falta por aqui, o que quer dizer que quase toda escolha de Tite pode (e geralmente é) questionada pelo torcedor.

Nosso objetivo aqui nessa lista não é questionar as últimas escolhas do professor Adenor nem ser (muito) polêmico – esse é o trabalho do meu colega Miguel. O que faremos aqui é falar um pouco mais a fundo sobre nomes que ficaram de fora da lista do técnico brasileiro e o porquê de eles merecerem uma chance. Nossa lista estará em ordem de posição em campo, e não de “prioridades”, é bom lembrar.

10. Neto (Goleiro – Valencia)

No Valencia, o goleiro de 29 anos finalmente é titular e pode realmente mostrar serviço para o torcedor e o técnico Tite

Desde que saiu do Athletico-PR para ganhar a vida na Europa, Neto não se tornou exatamente uma estrela em ascensão. O arqueiro conseguiu bom tempo de jogo na Fiorentina e logo chamou a atenção da Juventus, que o contratou para ser reserva imediato de Buffon – uma posição complicada, embora honrosa, já que a lenda italiana praticamente nunca se machucava e era titular absoluto. Neto não jogou quase nada na Velha Senhora e se viu vendido ao Valencia em 2017 – onde finalmente ele se firmou como titular.

Aos 29 anos, o goleiro já não é nenhuma criança, mas parece finalmente estar vivendo seu auge. Jogando num time mediano da Espanha, ele se tornou parte – quem diria! – da segunda defesa menos vazada de La Liga e ainda por cima está com o time nas quartas de final da Liga Europa. Ele já foi convocado outras vezes e é fato que está abaixo de Alisson e Ederson, ambos voando nos dois líderes da Premier League, mas Tite não deveria desconsiderar Neto como um terceiro goleiro a se investir em longo prazo.

9. Emerson (Lateral-direito – Bétis/Barcelona)

Junto com Vinicius Jr. e Paquetá, Emerson é outra jovem promessa que foi para a Europa e já começou a se destacar, a ponto de ir para um gigante como o Barça

Revelado pela Ponte Preta para o mundo em 2017, com apenas 18 anos, Emerson está prestes a se tornar o mais novo reforço de ninguém menos do que o Barcelona. O lateral pertence ao Atlético-MG e está emprestado ao Real Bétis, mas vai para o Barça assim que a temporada terminar.

O paulista acabou de completar 20 anos e já foi contratado por um dos gigante do futebol mundial, e Deus sabe que lateral-direito é uma posição preocupante na Seleção. Daniel Alves não deve jogar mais outra Copa (e está machucado atualmente), Fagner é um atleta que passa pouca confiança (embora seja o titular de momento) e Danilo não é nem titular no Manchester City (e também está machucado). Chamar Emerson nas próximas convocações seria um ótimo jeito de Tite mostrar que está de olho no futuro. A Copa América está logo aí e 2022 também.

8. Dalbert (Lateral-esquerdo – Inter de Milão)

Alex Sandro deve ser titular nos próximos jogos do Brasil, mas Dalbert merece uma chance de se provar perante o técnico Tite

Assim como no lado direito, lateral-esquerdo tende a se tornar um problema em potencial para os próximos anos. Marcelo vai fazer 31 anos daqui a pouco e, embora seja um dos melhores do mundo, não vai durar para sempre – e sequer foi convocado desta vez. Filipe Luís é ainda mais velho e também não deve voltar a vestir a amarelinha.

O posto de titular deve recair sobre Alex Sandro (Juventus) e nada é mais justo, mas a hora de procurar um reserva imediato (e futuro titular, óbvio) chegou. Com seus 25 anos, Dalbert já é razoavelmente experiente e está entrando em cada vez mais jogos da Inter de Milão, onde atualmente é reserva. Até seus golzinhos o lateral marcou pelo time italiano, que renovou contrato com o atleta recentemente. Talvez alguma rodagem na Seleção principal seja justamente o que falta para Dalbert despontar de vez como um lateral world class

7. Luan (Zagueiro – Palmeiras)

As atuações impecáveis de Luan o tornaram uma espécie de amuleto no Palmeiras, que não perdeu nenhum jogo do Brasileiro com ele de titular – uma sorte que viria bem a calhar na Seleção…

Até agora só falamos de jogadores que atuam fora do país, então já é hora de falar dos atletas que continuam jogando dentro do Brasil – e não são poucos os talentos. Comecemos pelo atual campeão brasileiro e, sem dúvida, um dos melhores elencos do país. Luan chegou ao Verdão em 2017 e foi campeão com o time no ano seguinte, quando finalmente se firmou como titular e jogador indispensável – o Palmeiras não perdeu sequer um jogo no Brasileirão 2018 quando ele esteve em campo.

Pela Seleção Brasileira, o atleta de 25 anos foi convocado por Tite apenas no início de 2017, para um único jogo, e nunca mais – ou seja, nunca depois de ter sido campeão e fazer parte da melhor defesa de 2018. Levando em conta que Miranda e Thiago Silva tem ambos 34 para 35 anos e Geromel quase isso, sangue mais novo para fazer dupla com Marquinhos seria mais do que bem-vindo. É verdade que Éder Militão é um senhor concorrente, mas Luan merece uma chance.

6. Igor Rabello (Zagueiro – Atlético-MG)

É bom fazerem exames detalhados em Igor Rabello e ver se ele não ganhou uma escoliose depois de tanto carregar o Botafogo nas costas

Talvez menos badalado do que Luan, Igor Rabello merece respeito e consideração por suas atuações já faz um bom tempo e, falando o português claro, por ter carregado o Botafogo nas costas nas últimas temporadas.

Recém-contratado pelo Atlético-MG, o zagueiro de 23 anos tem tudo para se tornar titular no lugar do praticamente aposentado Leonardo Silva, o que também quer dizer que Tite vai ter ainda mais chances de ver o atleta em campo num time de ponta do Brasileirão. Talvez Rabello fique atrás do já citado Luan e do praticamente incontestável Marquinhos, mas vale ser experimentado mais do que gente como Rodrigo Caio, convenhamos.

5. Rodrigo Dourado (Volante – Internacional)

Parte do Internacional desde que tinha 12 anos, Dourado é um exemplo quando o assunto é lealdade, algo muito em falta hoje em dia, como não cansam de nos lembrar os mais velhos

Falar de volante quando o assunto é Seleção Brasileira é sempre delicado, ainda mais depois da última Copa do Mundo, cuja eliminação brasileira passou e muito pelos pés do então titular, Fernandinho. A concorrência atualmente está acirradíssima, com a posição titular sempre nas mãos de Casemiro e gente de peso como Fabinho e Arthur despontando como novos favoritos.

Rodrigo Dourado é medalhista de ouro com a Seleção Olímpica de 2016, campeão sub-17 em 2011 e agora, aos 24 anos, chegando ao auge depois de 7 anos consecutivos de Inter, é hora do ainda jovem volante receber uma chance de Tite. Assim como nomes que se tornariam lendas da camisa canarinha, Dourado encarou a provação cruel que é uma Série B com seu time antes de voltar à elite e fazer grande temporada. A combinação lealdade e qualidade está bem em falta no futebol moderno, então eis aí um nome ao qual o Professor Adenor deveria dar mais oportunidades.

4. Rodrygo (Ponta-esquerda – Santos/Real Madrid)

Rodrygo mal completou 18 anos e já assinou com o Real Madrid até 2025 – haja moral para alguém tão jovem

Vamos combinar que ponta-esquerda se tornou a posição mais infeliz em que qualquer jogador brasileiro possa tentar atuar, levando em consideração que o titular da vaga canarinha ali é simplesmente o melhor futebolista brasileiro em atividade, Neymar. Mesmo sem o jogador do PSG, qualquer concorrente teria que encarar Philippe Coutinho ou Douglas Costa na posição (improvisados ou não) como concorrência.

Rodrygo é jovem – muito jovem – e já foi contratado pelo Real Madrid junto ao Santos, onde deve se apresentar em junho de 2019. Se seguir os passos do também merengue Vinícius Jr., que já chegou mostrando serviço e beliscou sua primeira convocação para a Seleção na última lista de Tite, o atleta de apenas 18 anos pode, sim, brigar por vaga sempre nas escolhas do treinador brasileiro. A parte dele no Santos e nas Seleções sub-17 e sub-20 ele já fez, e talento não falta.

3. David Neres (Ponta-direita – Ajax)

Depois de sua atuação contra o Real Madrid, levando o Ajax até as quartas da Champions, a moral (e o valor de mercado) de David Neres dispararam, e ele ganhou sua primeira chance na Seleção Brasileira de Tite

Falar em David Neres atualmente é sinônimo de falar da partida absurda e heroica que ele e o time inteiro do Ajax fizeram no Santiago Bernabéu, e também no simples fato de que o jogador do time holandês, de fato, foi chamado na última convocação da Seleção. Ele consta na nossa lista porque, sendo sua primeira chamada e vivendo a fase fantástica que vive, achamos que ele merece tempo de jogo de fato, e não apenas um número bonito de “uma chamada” para constar no seu artigo da Wikipédia.

O valor de mercado do ex-São Paulo disparou nos últimos meses e parece até improvável que ele fique no Ajax por mais tempo. O que é mais importante, na verdade, é dar rodagem a um jogador de apenas 22 anos que, muito provavelmente, está começando a viver o melhor momento da carreira agora. Versátil, Neres pode jogar tanto pela direita quanto pela esquerda no ataque e sabe apoiar bem pelo meio. Se bem aproveitado, é o pesadelo de qualquer defesa – o Real Madrid que o diga.

2. Everton (Atacante – Grêmio)

Gabriel Jesus passou a Copa da Rússia absolutamente em branco, então procurar outros atacantes para concorrer ao posto não é nada além do óbvio

Chegamos ao ataque, posição na qual o Brasil tem sofrido para encontrar o titular dos sonhos há um bom tempo. Gabriel Jesus fez uma Copa da Rússia para esquecer no ano passado e, embora ainda seja convocado, não tem nenhuma aura de titular (nem no Manchester City ele o é). Richarlison está jogando cada vez melhor e gente como Douglas Costa e William (mesmo não jogando exatamente na mesma posição) são sempre concorrentes fortes.

Everton, por sua vez, só passou a ser lembrado por Tite depois da Copa, o que não é de surpreender, levando em conta que a excelente campanha do Grêmio e do jogador em ambos Brasileirão e Libertadores se deu depois do mundial. O atacante foi peça essencial nas duas competições e, embora seu time não tenha vencido nenhuma delas, o jovem de 22 anos jogou demais e deixou belos 16 gols na temporada. Sem dúvidas que merece uma chance real de teste, ainda mais sendo versátil e podendo atuar nas pontas também.

1. Dudu (Atacante – Palmeiras)

Capitão do Palmeiras campeão de 2016 e 2018, Dudu é o símbolo do clube mais bem-sucedido do momento no Brasil e só por causa disso já mereceria uma nova chance com a Amarelinha – fora sua qualidade

Não poderíamos finalizar nossa lista sem pelo menos uma grande polêmica. Amado pela torcida palmeirense e odiado pela maioria das outras, Dudu é o verdadeiro símbolo do Palmeiras moderno e vencedor dos últimos anos. Está longe de ser um jogador perfeito, claro, mas a raça que o pequeno atacante de 27 anos e sua qualidade em campo não podem ser desprezados – afinal, estamos falando de um bicampeão brasileiro em três anos.

O forte de Dudu, acima dos gols, são as assistências, um elemento que nunca pode ser desprezado num time cujo principal jogador, Neymar, faz muitos gols e é driblador, mas também um tanto quanto fominha. O jogador do Palmeiras, que fez nove gols e deu o dobro disso em assistências no ano passado, já jogou com a camisa canarinha em 2011, e talvez tenha chegado a hora de Tite abrir os olhos e dar uma chance ao jogador-símbolo do atual campeão brasileiro.

Comentários do Facebook