Os 12 gigantes do Brasil: o que esperar de cada um na temporada

97
mineirão estadio

A maioria dos estaduais já está na metade, as fases preliminares de ambas Copa Libertadores e Copa Sul-Americana estão a todo vapor e o mercado de transferências já deu uma acalmada, uma vez que a maioria dos clubes já trouxe as peças mais importantes que almejava. Isso significa que a temporada no Brasil está, finalmente, saindo do seu “aquecimento” e entrando na sua fase mais séria.

Pensando nisso, resolvemos fazer um especial para analisar brevemente o que o torcedor (e o apostador, claro) podem esperar de cada um dos 12 principais times brasileiros, que vão disputar a Série A do Brasileirão a partir do dia 28 de abril.

São Paulo

Corinthians: O Timão começou 2019 devagar, amargando a terceira posição do seu grupo no Paulista após perder jogos bobos, mas venceu os clássicos contra Palmeiras e São Paulo e se reabilitou. Na Sul-Americana, precisa vencer o Racing na Argentina para continuar vivo depois de ter empatado por 1×1 em Itaquera, no sufoco.

A zaga do Corinthians é uma mãe para os adversários, mas seu ataque está mais eficiente a cada dia, especialmente graças à ótima fase de Gustavo, o “Gustagol”. Se continuar melhorando e resolver os problemas na defesa, o time pode sonhar até que alto no Brasileirão vindouro, embora seja bem difícil imaginar título ou mesmo vaga na Libertadores.

Palmeiras: A expressão “time que está ganhando não se mexe” é uma máxima que o Palmeiras pode e deve adotar em 2019 – afinal, no ano passado, o clube se sagrou campeão brasileiro com folga e só não foi mais longe na Libertadores por conta de… bom deixa pra lá. O que importa é que a base do elenco é a mesma e o estilo de jogo também, então a tendência é um Verdão voando em todas as competições que disputar.

Se Felipão conseguir fazer valer seu lema prático “às vezes o jeito antigo é o melhor jeito”, o Palmeiras pode ser bicampeão brasileiro, almejar chegar bem longe na Libertadores e, antes de tudo isso, conquistar o Paulistão e tirar o gosto amargo que ficou na garganta depois da final conta o arquirrival Corinthians no ano passado.

Atual campeão Brasileiro, o Palmeiras continua sendo o time a ser batido, e deve dar trabalho para todo mundo, tanto no Brasileirão quando na Copa Libertadores

Santos: O clube da Vila Belmiro pode se gabar logo de cara de estar fazendo a melhor campanha do Paulistão até agora, mas só o futuro dirá se isso é o suficiente para o Peixe garantir uma boa temporada. O Brasileirão 2018 foi, na melhor das análises, pífio, garantindo a vaga na Sul-Americana e só.

Sampaoli acabou de chegar e provavelmente vai levar um tempo montando o time como quer, mas nesse meio tempo o torcedor não pode reclamar do desempenho santista (tirando quando joga contra o Ituano). No estadual de 2019, o Santos é o time com mais pontos (18) e mais gols feitos (16) até agora, mas o elenco ainda passa uma impressão de pouca harmonia. Se continuar assim, pode talvez beliscar uma vaga na pré-Libertadores, mas não muito mais que isso.

São Paulo: Se tem time um nessa lista cujo torcedor deve estar sem unha de tanto roer e com o sono bem prejudicado de nervoso, é o do Tricolor Paulista. O São Paulo chega à oitava rodada do Paulistão na terceira posição do seu grupo (e, de quebra, já tendo perdido os clássicos para Corinthians e Santos) e eliminado na pré-Libertadores pelo desconhecido argentino Talleres.

O técnico André Jardine acabou “rebaixado” para a comissão técnica de novo e, enquanto o novo contratado Cuca não assume o clube, o interino Vagner Mancini tenta arrumar a bagunça que é o time do Morumbi. Se conseguir passar de fase no Paulistão, o São Paulo vai penar para alcançar os outros três grandes e jogar de igual para igual. No Brasileiro 2019, a situação atual indica um time que pode brigar por Sul-Americana e só – bem abaixo do que o torcedor Tricolor espera e exige.

Rio de Janeiro

Botafogo: A campanha do Botafogo na Taça Guanabara foi digna de pena, com o Fogão terminando em quinto num grupo com seis participantes (atrás de Flamengo, Resende, Bangu e Boavista). Na Sul-Americana, o Glorioso venceu o Defensa y Justicia no jogo de ida no Rio, mas precisa segurar pelo menos um empate na Argentina para seguir em frente.

Os problemas financeiros do clube são famosos, assim como o descontentamento do torcedor com a diretoria. Em campo, o maior problema do Botafogo é seu ataque, que é um tanto ineficiente. Mesmo se conseguir arrumar a bagunça na frente, o time da estrela solitária só pode esperar mais uma temporada de coadjuvante no Brasileirão. Se não arrumar, porém, o clube é um dos candidatos ao rebaixamento, infelizmente.

Flamengo: Já falamos recentemente sobre como o Flamengo tem batido na trave quando o assunto é título, especialmente no Brasileirão. Depois do vice-campeonato em 2018, a tendência é que o Rubro-Negro vá com ainda mais gana pra cima dos adversários quando a edição 2019 do nacional começar.

Não podemos deixar de citar, é claro, a tragédia no alojamento dos jogadores da base do clube, uma vez que, além da catástrofe humana em si, o fato ainda carrega uma carga emocional pesadíssima que não deve passar despercebida no campo pelo Flamengo e sua torcida. De qualquer modo, o Urubu é um dos que mais investiu no mercado de contratações, além de ter mantido sua espinha dorsal intacta, o que quer dizer que o clube deve vir forte para tudo o que disputar. Candidato a título brasileiro e, quem sabe, da Libertadores!

flamengo comemora
A tragédia com os jovens da base do Flamengo está muito viva na memória de todos. Resta ver como isso irá afetar o elenco também ao longo da temporada

Fluminense: Falar no Tricolor das Laranjeiras no atual momento traz à mente as cenas tristes dentro e fora de campo que cercaram todo o confronto contra o Vasco na final da Taça Guanabara. O momento do time não é dos melhores e isso deve afetar o médio e o longo prazo.

É inegável que o Fluminense abriu os cofres e trouxe gente de renome, especialmente Ganso, mas ainda é cedo para dizer que gastar dinheiro e obter sucesso na temporada são a mesma coisa. Além do mais, a contratação de um jogador tão caro estando com os salários dos outros atrasados provocou uma greve no elenco do time hoje. O Tricolor estreia na Sul-Americana na próxima semana e, além disso, vai disputar a Taça Rio enquanto o Brasileiro não começar – competição essa, ressaltemos, na qual o Tricolor dificilmente irá figurar na parte de cima da tabela.

Vasco: Ser torcedor do Vasco é viver o céu e o inferno com intervalos tão curtos que pode gerar crises emocionais e problemas similares. No momento, o torcedor do Bacalhau pode comemorar feliz, já que o time venceu a Taça Guanabara, primeira fase do Campeonato Carioca.

Por outro lado, o Vasco ficou apenas uma posição acima da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro do ano passado, e por isso resolveu investir em novas contratações. Parece ter dado resultado, vide o recente título e a ótima campanha, com sete vitórias em sete jogos. Se mantiver o desempenho no Brasileirão, dá até pra sonhar com dias melhores, Sul Americana, Libertadores quem sabe…

Rio Grande do Sul

Grêmio: O torcedor do Grêmio não tem motivos para reclamar do seu time – pelo menos desde que a Libertadores acabou. Em meio a polêmicas de arbitragem, o Imortal caiu de pé na competição, terminou o Brasileirão de cabeça erguida na quarta posição e, falando simples e claro, é hoje um dos melhores times do Brasil.

Renato Gaúcho fez poucas mudanças no seu elenco desde que a temporada terminou e, merecidamente, é hoje líder do Campeonato Gaúcho. Combinados, um time fortíssimo e entrosado, um técnico indigesto para os adversários e muita ambição e preparação fazem do Tricolor Gaúcho um candidato a tudo o que disputar em 2019 – inclusive Brasileirão e Libertadores.

A queda da Libertadores perante o River Plate foi difícil de digerir, mas o Imortal precisa sacudir a poeira se quiser competir com outros gigante no Brasileirão e na Libertadores 2019

Internacional: Quem saiu da Série B para terminar o Brasileirão seguinte na terceira posição, fazendo bonito e chegando a flertar com o título, certamente merece aplausos, e esse alguém é o Inter. Para 2019, o Colorado chega bem diferente, levando em conta o número alto de saídas e chegadas, mas ainda forte.

Enquanto não estreia na fase de grupos da Libertadores, o Inter se ocupa no Campeonato Gaúcho, no qual é segundo colocado. Dá pra dizer que o Colorado não está no mesmo nível do rival Grêmio, mas ainda assim não é nenhum absurdo cravar o time terminando o Brasileirão 2019 no pelotão de cima, provavelmente na zona da Libertadores de novo, no mínimo.

Minas Gerais

Atlético-MG: Discreto porém sossegado em 2018, o Atlético-MG começa o ano da mesma maneira que terminou o anterior: sem pretensões enormes, mas podendo surpreender. Foi dessa maneira, como quem não quer nada, que o Galo ficou na sexta posição do Brasileirão, através da qual pode voltar à Copa Libertadores.

Um empate dramático por 2×2 com o Danubio no Uruguai deu ao Atlético-MG ótimas chances de matar o jogo em Belo Horizonte e se garantir na fase de grupos da Libertadores logo mais. No Mineiro, o clube é líder e candidato a título. As pretensões no Brasileiro, por sua vez, devem ser as mesmas que em 2018: o time pode parecer inofensivo, mas se os adversários cochilarem, o Galo passa, chega na Libertadores e eles nem percebem.

Cruzeiro: O atual campeão da Copa do Brasil está mais do que feliz não apenas com seu último título, mas também com o acesso à Libertadores que veio com ele. Enquanto se prepara para estrear contra o Huracán, na Argentina, a Raposa persegue ambos Atlético e América no Campeonato Mineiro.

Em questão de elenco, Arrascaeta foi embora e deixou um buraco, mas bastante gente chegou para tentar repor as peças. É difícil prever como será a campanha do Cruzeiro, que não está exatamente arrasando no Mineiro. Digamos apenas que, embora o rebaixamento seja quase impossível, é igualmente complicado imaginar o Cruzeiro campeão de novo – mas, nunca se sabe, não é mesmo?

de arrascaeta comemora
Arrascaeta não é mais atleta do Cruzeiro, e agora o clube precisa se preparar para uma temporada sem aquele que tinha sido seu principal jogador em 2018
Comentários do Facebook