O prestigiado jornal francês ‘L´Equipe’ concedeu pela primeira vez em sua história uma nota dez para atuação de um jogador na Ligue 1. O privilégio foi do atacante Neymar, do Paris Saint-Germain. Não sem motivo. Afinal, diante do Dijon, o titular da seleção brasileirão marcou quatro gols e deu duas assistências na histórica goleada de 8 a 0.

Diriam os antigos, que faltou apenas fazer chover. Não faltou. Ele conseguiu uma proporcionar uma chuva de vaias pouco antes de cobrar uma penalidade máxima. Os torcedores do PSG que lotavam o Parc des Princes queriam que o uruguaio Edinson Cavani executasse o pênalti. Seria uma grande oportunidade para que o titular da seleção uruguaia pudesse se tornar o maior artilheiro da história do clube e comemorasse o feito diante de sua torcida.

Com quatro gols, duas assistências e atuação nota dez, Neymar acabou vaiado pela torcida do PSG no jogo contra o Dijon

O ex-jogador de Santos e Barcelona, contudo, preferiu ter uma postura egoísta. Assim, mesmo convertendo o pênalti, virou alvo da ira da torcida. Isso o desorientou. Ao final da partida, enquanto seus colegas comemoravam a vitória e a liderança disparada do Campeonato Francês com o público, Neymar saiu correndo em direção aos vestiários mostrando clara irritação.

Conflito entre atletas começou em outra cobrança de pênalti

Foi também uma cobrança de pênalti, ainda no início da temporada, que desencadeou a crise de relacionamento entre Neymar e Cavani. O uruguaio, que está há mais tempo no clube, sempre foi o cobrador oficial das penalidades. Com a chegada do brasileiro, responsável pela maior negociação da história do futebol obrigando o clube francês a gastar mais de 220 milhões de euros, resolveu mudar isso em sua tentativa de quebrar recordes e virar o melhor jogador do mundo.

No jogo contra o Lyon, pelo primeiro turno da Ligue 1, em setembro, a disputa tornou-se pública. Com ajuda do também brasileiro Daniel Alves, Neymar tomou a bola antes de cobrança de pênalti e não deixou Cavani bater. Isso gerou uma disputa de bastidores que foi vencida pelo brasileiro. Desde então, por decisão do técnico Unai Emery, virou o cobrador oficial de penalidades máximas do PSG.

Cavani
Artilheiro do Campeonato Francês, Cavani se mostra conformado em não ser mais o cobrador de pênaltis do PSG

Talvez por isso, Cavani, que deixou claro seu incômodo no primeiro ato dessa ópera, assumiu uma atitude de cavalheiro no segundo momento. Aplaudiu Neymar após a cobrança no jogo contra o Dijon e comemorou o gol com o companheiro.

Novamente Lyon entra como coadjuvante do duelo

Porém, a situação não teve um ponto final. Se o uruguaio não se manifestou, tanto a torcida quanto a imprensa francesa despejaram críticas ao brasileiro. Alegando contusão, Neymar acabou ficando de fora do confronto seguinte, novamente diante do Lyon. Mesmo com o departamento médico do clube confirmando a lesão, levantou-se a possibilidade de que seria uma tentativa do atleta de demonstrar que o time não seria capaz de vencer um rival forte sem ele.

Se essa estratégia foi realmente pensada, teve mais uma vez uma colaboração de Daniel Alves. O lateral arrumou um cartão vermelho no começo do segundo tempo quando o jogo estava empatado. Com um atleta a menos, o PSG sofreu um gol nos acréscimos e foi batido pelo Lyon por 2 a 1.

Cenário ficou perfeito para atacante nacional

Era tudo que Neymar precisava. Cavani não fez gol e os torcedores sentiram sua falta. A novela, no entanto, está longe de seu final. Deve prosseguir até o final da temporada quando muito provavelmente o uruguaio será negociado pela diretoria do clube francês deixando o brasileiro como única grande estrela da companhia.

Enquanto isso não acontece, ambos vão lutar por uma vitória moral: querem conquistar a artilharia do Campeonato Francês. Depois de 22 rodadas completadas, Cavani está melhor nessa luta. Disputou 21 partidas e fez 20 gols. Neymar, apesar de ter média superior, está na segunda colocação. Atuou em menor número de jogos: 15. Mas marcou 15 tentos.

Nessa batalha para determinar quem é protagonista e quem é coadjuvante, há um intruso. Sem se meter em confusão, o jovem francês Kylian Mbappe também tem chances de ambicionar a artilharia. Em 17 jogos disputados, fez nove gols.

Duelo aquece mercado de apostas

Essa briga que se estendeu das quatro linhas para os bastidores também aqueceu o mercado de apostas. Os três atletas do Paris Saint-Germain aparecem entre os mais cotados para ficar com a artilharia do Campeonato Francês em sua temporada 2017/2018.

falcao
A briga entre o brasileiro e o uruguaio pode acabar facilitando a vida do colombiano Falcão Garcia, que também está na disputa pela artilharia

Em Betfair, por exemplo, em 23 de janeiro, Cavani seguia como maior favorito. Se terminar com a chuteira de ouro da Ligue 1, isso vai propiciar retorno de 1,36 para cada real apostado. Neymar vem a seguir com 6,50 e Mbappe é considerado um azarão, com prêmio de 67,00 por 1.

A desavença dos ‘irmãos’ do PSG pode abrir a oportunidade para que o trono seja usurpado por outro sul-americano. Com 16 gols em 18 jogos, o colombiano Falcão Garcia, do Monaco, também tem prêmio de 6,50 caso consiga ofuscar as grandes estrelas do time parisiense.