Argentina passa vergonha e complica a vida; Brasil tenta evitar o mesmo

25
Caballero Argentina

A quinta-feira, 21 de junho de 2018, ficará marcada na história do futebol argentino. A seleção não só perdeu para a Croácia e agora depende de resultados de outras seleções para passar de fase. Ela foi atropelada pela Croácia, especialmente no segundo tempo, levando um 3 a 0 no lombo.

Mas o Brasil não pode rir muito da desgraça de seu grande rival porque pode ficar em situação igual. Sim, melhor ser dramático que entrar com oba-oba.

Mas primeiro vamos falar da desgraça dos hermanos.

Ficou feio

Depois de empatar na primeira partida contra a Islândia, as críticas voaram de todo lado, com Diego Maradona também soltando o verbo. Jorge Sampaoli quis mostrar trabalho e mudou bastante seu time titular. De nada adiantou.

Lionel Messi continuou pegando a bola em situações ruins, a saída de bola não funcionou e a Croácia dominou o meio-campo com seus dois jogadores-chave: Ivan Rakitic e Luka Modric.

Porém o gol só saiu em uma trapalhada de Willy Caballero, que foi dar um passe, espanou e Ante Rebic nem deixou a bola cair antes de dar um belo voleio e abrir o placar. A Argentina, que já estava nervosa, ficou ainda mais. Gonzalo Higuaín não fez nada. Paulo Dybala pouco apareceu. Messi continuou sumido.

E a Croácia aproveitou esse caos para fazer dois gols vitais: Modric em um lindo chute aos 35 do segundo tempo e Rakitic, premiando sua excelente partida, classificaram a Croácia para a segunda fase. E além de deixar a Argentina com apenas um ponto, o saldo dos bicampeões é -3. E depois de pontos e número de vitórias, esse é o critério de desempate.

A situação está feia. Muito feia.

O Brasil precisa evitar o mesmo

Philippe Coutinho Brasil
Philippe Coutinho é uma das esperanças do Brasil para bater a Costa Rica

O Brasil nem de perto chegou com a mesma desconfiança que a Argentina para a Copa. Mas ambas empataram na primeira partida e os pentacampeões não podem pensar em outra coisa que não seja os três pontos nesta sexta-feira, contra a Costa Rica.

O 1 a 1 contra a Suíça serviu para ligar um alerta depois de semanas e semanas de aplausos e amor vindo de todos os lados. Neymar, criticado após a abertura, chegou a sair de um treino com dores no tornozelo, mas treinou normalmente no dia seguinte e estará no jogo.

O mesmo não dá para dizer de Danilo, completando uma aparente maldição na lateral direita após o titular, Daniel Alves, machucar o joelho e ficar fora da competição. Fagner, do Corinthians, será o titular. Teremos que observar se o jogo com ritmo mais forte será demais para o jogador.

Porém, não é uma atuação ruim dele que tirará a vitória do Brasil. O time é amplamente favorito e irá com o forte quarteto de Philippe Coutinho, Willian, Neymar e Gabriel Jesus novamente. É a hora deles mostrarem que chegaram na Rússia. E assim o Brasil evitar ser uma Argentina 2.0.

A Argentina estará de olho em…

Às 12h desta sexta todas as televisões de Buenos Aires estarão ligadas em Nigéria e Islândia. Que fase…

A seleção africana está zerada e se perder para os islandeses está fora da Copa. Um empate não é lá muito proveitoso, já que enfrentará uma Argentina que entrará com sangue nos olhos e lutando pela vida. Os quatro dias de bombardeios que sofrerão da imprensa local deve deixar Messi e companhia loucos para mostrar qualquer grama de fibra que tiverem.

Enquanto isso a seleção da pequena ilha no Norte do Norte do mundo, e que segurou Messi na 1ª rodada, tem que pensar grande. Na última rodada vai pegar uma Croácia que não vai querer muito da vida, por isso seria ótimo vencer a Nigéria e chegar na terça-feira precisando apenas de um empate.

Aliás, por causa do 3 a 0 vergonhoso de hoje e em caso de vitória da Islândia na sexta, por 1 a 0 que seja, a Argentina precisaria não só vencer e torcer por uma vitória da Croácia, mas também matar o saldo de gols. A diferença nesse caso seria de quatro gols.

Que situação…

Restinho

A França teve bons momentos, mas não brilhou. Foi o suficiente para vencer – com gol de Kylian Mbappé -, eliminar o Peru e garantir sua classificação para a segunda fase. O time pega a Dinamarca na última rodada, que também poderia ter se classificado, mas empatou com a Austrália.

E no último jogo da sexta, a Sérvia vai tentar sua segunda vitória, mas encara pela frente a forte seleção da Suíça. Os dois vão fazer um duelo direto para saber quem é a segunda força do Grupo E. A menos que o Brasil queira imitar a Argentina e permitir que os dois passem para as oitavas.