10 jogadores que devem ser destaque na Europa em 2020

Com a chegada do ano novo, nada mais justo do que arriscarmos algumas previsões para 2020 no futebol, certo? Ao invés de fazermos isso no Brasil, cuja temporada está longe de começar ainda, vamos falar dos atletas que atuam na Europa, onde o futebol segue a todo vapor e já dá para ter uma boa noção do que virá.

Nosso top 10 do momento é sobre jogadores que devem ter destaque de alguma maneira nas principais ligas europeias. O que é destaque, você pergunta? Consideramos destaque ser protagonista num contexto amplo, representar uma grande novidade, estar no meio de alguma novelinha de transferência, enfim – ser o centro das atenções acima do que é normal. Por conta disso, gente consagrada, mas que não fez estrondo além da conta, não vai estar aqui, vide Messi, Salah, Mané, Fernandinho, Alisson, etc.

Como em toda lista, só cabe um número limitado de gente, então discordar é totalmente natural. Se for o caso, deixe nos comentários quem você acha que merecia estar aqui (ou não), beleza? Vamos lá, então.

10. Zlatan Ibrahimović (Milan)

Zlatan está de volta ao Milan para ser o Zlatan de sempre e, quem sabe, de brinde, salvar o Milan do buraco no qual está afundado

Quando você acha que a carreira de Zlatan Ibrahimović vai se voltar para comerciais engraçadinhos e eventos da FIFA, eis que o sueco de 38 anos sai do paraíso dos semi-aposentados que é a MLS americana e volta para o Milan, segundo time pelo qual o atacante mais atuou (atrás apenas do PSG).

Nosso décimo posto fica com Ibra pela reviravolta totalmente inesperada do atleta, que volta para a Serie A TIM para tentar ajudar a tirar o Milan de um buraco muito fundo que foi cavado com pás enormes nos últimos anos. Se Zlatan vai dar uma de Zlatan e ser em iguais partes gênio, e bad boy excêntrico, veremos ao longo de 2020!

9. Paul Pogba (Manchester United)

Paul Pogba
De certa forma cria da casa, Pogba parecia relutante em atuar sob José Mourinho, mas as coisas não melhoraram com Ole Gunnar Solskjaer no comando do United

O Manchester United está longe de viver dias felizes atualmente – aliás, o torcedor mais crítico dirá que desde 2013, com a saída de Sir Alex Ferguson – e Pogba acabou se tornando um símbolo da fase complicada do time: endinheirado, porém perdido.

Há de se pensar que os Red Devils se deram mal demais no investimento, já que o meia francês chegou ainda adolescente ao time, foi vendido para a Juventus a preço de banana, se consagrou na Itália, voltou para o United a peso de ouro e simplesmente não rendeu nem sombra do que o torcedor esperava.

Pogba consta na nossa lista de destaques porque, já faz semanas, parece estar fazendo de tudo para forçar uma saída do time inglês. O destino é incerto, mas logo nos próximos dias poderemos ver o nome do jogador nas manchetes.

8. Jamie Vardy (Leicester City)

Um dos pilares fundamentais da conquista da Premier League de 2015/16 pelo Leicester, Vardy está voando de novo e ajudando os Foxes a perseguir o Liverpool

Falamos anteriormente de dois jogadores ligados a transferências (um de entrada, outro potencialmente de saída), então é hora de falar do oposto: o rei do “fico”, Jamie Vardy, uma das pouquíssimas peças restantes no Leicester daquele elenco campeão inglês de 2015/16.

Quando aquela temporada acabou, muita gente dava como certa a saída do atacante (o Arsenal seria o principal interessado), já que os Foxes tinham vendido Deus e o mundo (Mahrez, Kanté, entre outros). No final das contas, Vardy não apenas ficou, como na temporada atual, é o principal artilheiro da Premier League e um dos principais nomes do Leicester, grande perseguidor do líder Liverpool.

A temporada pode acabar sem título (embora o time venha forte na Copa da Liga), mas Vardy está tão disparado na artilharia da Premier League (e sendo um forasteiro em relação ao talvez já defasado “grupo Big Six”) que é impossível não ser um dos grandes destaques de 2020.

7. Robert Lewandowski (Bayern de Munique)

Lewandowski não casa de ser artilheiro da Bundesliga e, mesmo numa temporada em que o Bayern não está lá essas coisas, continua no topo dos marcadores

Falando em artilheiros, esse é um título do qual o polonês Robert Lewandowski não cansa de ostentar. Desde 2016/17, quando Aubameyang está voando pelo Borussia Dortmund, todas as temporadas seguintes viram Lewandowski como artilheiro da Bundesliga. Na temporada atual, o polonês está no topo de novo, e é o segundo maior artilheiro das cinco principais ligas europeias (atrás apenas de Ciro Immobile, da Lazio).

A questão é que o atacante do Bayern parece não sair nunca de forma, mesmo quando seu time não está lá essas coisas – vide o momento atual. Num ano em que muita gente está afim de ganhar o Campeonato Alemão, ter o artilheiro das últimas três temporadas pode ser decisivo. É o próprio Lewandowski quem pode provar se estamos certos ou não.

6. Eden Hazard (Real Madrid)

Hazard passou temporadas de sucesso absoluto no Chelsea, onde é ídolo, mas ainda não se fixou bem no Real Madrid – eis sua chance agora em 2020

A transferência de Hazard do Chelsea para o Real Madrid foi uma das grandes novelas 2019, e realmente se concretizou em maio do ano passado. O problema é que o belga não jogou nem perto do que se esperava nesses últimos meses, e ele está aqui na nossa lista mais num sentido de “agora vai?” do que qualquer outra coisa.

A verdade é que o astro belga tem convivido com lesão atrás de lesão desde que trocou Londres por Madrid. Numa temporada que já passou da metade, Hazard só entrou em campo oito vezes em La Liga. Comprado a peso de ouro junto ao Chelsea, resta ver se, quando voltar, Hazard vai confirmar e retomar seu potencial de ser um dos melhores do mundo.

5. João Félix (Atlético de Madrid)

Boatos dão conta que o técnico Simenoe e João Félix não andam se entendo no Atlético de Madrid, e isso pode ser a causa do desempenho do português, bem abaixo do esperado por todos

Falando em gente comprada a peso de ouro e exalando potencial, João Félix deve ser nome importante ao longo de 2020 para bem ou para mal. Comprado junto ao Benfica por um caminhão de dinheiro (recebido pelos Colchoneros pela venda de Griezmann ao Barcelona), o atleta português não chegou nem perto de atingir as expectativas criadas a seu redor.

Isso pode significar virtualmente duas coisas: ou as coisas mudam radicalmente para cima em 2020, ou o camisa 7 do Atléti mostra que não foi lá o melhor investimento da temporada e faz a expectativa de todo mundo baixar demais. Ainda assim, o protagonismo é inevitável.

4. Kylian Mbappé (PSG)

Mbbapé é um dos mais jovens da nossa lista, mas já é um dos mais vitoriosos. O protagonismo já existe, mas ele pode se tornar o rosto de sucesso definitivo do PSG em breve

Aos 21 anos de idade, Mbbapé já tem mais conquistas de futebol do que muitos clubes e países conseguiram em um século. São três troféus de Campeonato Francês e uma Copa do Mundo em uma carreira profissional de menos de quatro anos. É pra botar inveja em qualquer um.

Nossa sétima posição da lista fica com o francês por um motivo duplo: sua estrela brilhante e qualidade indubitável, obviamente, mas também porque 2020 pode ser o ano da consagração final de Mbappé como líder-mor e astro do PSG, da França e, quiçá, da sua geração.

Com as potenciais saídas de Cavani e, principalmente, Neymar do Paris Saint-Germain, não vai faltar nenhum ingrediente para o jovem ponta ser o craque definitivo que promete. O título de jogador mais valioso do mundo (200 milhões de euro, segundo o Transfermarkt).

3. Virgil Van Dijk (Liverpool)

Van Dijk (ainda) não faturou o prêmio de melhor do mundo, mas para alguém que ganhou Champions, Mundial da FIFA e pode levar a primeira Premier League do seu time em 30 anos, isso faz pouca falta

Ser campeão da Liga dos Campeões, do Mundial da FIFA e concorrer com Messi e Cristiano Ronaldo no prêmio de Melhor do Mundo é para poucos hoje em dia, mas foi exatamente o que o zagueiro Virgil Van Dijk, do Liverpool, conseguiu.

Os títulos são apenas a consequência do que foi uma temporada de pura genialidade do holandês de 28 anos, que parou gigantes do futebol mundial como Messi, Lewandowski, Harry Kane e muitos outros. Foi através do equilíbrio pleno entre uma defesa fantástica e um ataque fenomenal que o Liverpool se tornou o melhor time do mundo, título que ostenta hoje sem concorrência.

Van Dijk é, sem dúvidas, peça chave nisso, e pode chegar ainda mais longe em 2020, no auge da forma e do sucesso e, ao que parece prestes a tirar os Reds de uma fila de 30 anos sem título na Inglaterra.

2. Cristiano Ronaldo (Juventus)

Cristiano Ronaldo já não é nenhum menino, mas assusta pelo condicionamento físico, qualidade em campo e vontade de continuar em alto nível por um bom tempo

Se falamos de Ibrahimović aos 38 voltando para o Milan, claro que não podemos deixar de fora Cristiano Ronaldo, aos 34, ainda jogando no mais alto nível na Juventus. Quando da transferência do português, mesmo que de um gigante para o outro, muita gente encarou com ceticismo, como o primeiro passo no caminho da aposentadoria. Ao que tudo indica, porém, a coisa é bem diferente.

O contrato de CR7 acaba só no fim da temporada 2021/22, quando o português terá 37 anos de idade e, no que depender do atleta e da Juventus, ao menos por enquanto, não há motivo para querer abrandar. Demorou, mas Ronaldo finalmente engrenou, fazendo seu primeiro hat-trick e se comprovando de vez como parte essencial do já excelente time da Juve.

Com a idade que tem, o astro português ainda faz inveja a qualquer moleque e segue, sim senhor, firme e forte nos holofotes do mundo da bola em 2020, como um dos melhores do mundo e ainda cheio de lenha para queimar.

1. Neymar Jr. (PSG)

Dentro das polêmicas de transferência para o Barcelona ou qualquer outro lugar, Neymar deve ter mais um ano de centro total das atenções

Nosso medalhista de ouro, sem clubismo e/ou ufanismo, é Neymar. O camisa 10 brasileiro fica no topo da nossa lista por entrar em mais um ano (e mais uma janela de transferência, principalmente), no centro das atenções de todos, que especulam sem parar se o futuro do jogador é no PSG, se ele deve voltar ao Barcelona ou qualquer outro destino possível.

A verdade é que, chegando aos 28 anos de idade em menos de um mês, Neymar precisa pensar seriamente no que fazer para alçar sua carreira ao nível máximo – se você acha que ele já chegou lá, tudo bem, mas aí vamos discordar veementemente. Ele está no centro das atenções, resta ver se disso vai resultar a mudança essencial para que ele se torne, de fato, o craque absurdo e vitorioso que sempre demonstrou poder ser.

Comentários do Facebook