Bundesliga começa com Bayern muito favorito, mas ainda tem atrações

39
bayern comemora

A Premier League já teve duas rodadas, assim como a Ligue 1. La Liga e a Serie A na Itália tiveram suas partidas de estreia na semana passada. Falta uma então, do top 5 das ligas europeias, para dar seu pontapé inicial: a Bundesliga.

A edição de 2018/19 será a 56ª da história e a primeira sem o Hamburgo, o único time que nunca tinha caído na Alemanha. O Bayern de Munique, maior campeão disparado da Bundesliga, com 27 conquistas, não jogou nos dois anos iniciais da liga.

Não há como falar de Campeonato Alemão sem começar pela equipe da Baviera, que ganhou os últimos seis troféus e favorito absoluto para conquistar o sétimo, pagando 1,12 para 1 na Betfair. O Borussia Dortmund, que ganhou em 2010/11 e 2011/12, antes da dominância do Bayern, paga 8 para 1.

Para quem gosta de palpites arriscados, dá para se apegar a algumas informações. E ainda tem muitas outras coisas para se ver nos gramados alemães.

Bayern de Munique tem uma grande mudança

niko kovac bayern
Depois de bom trabalho no Eintracht Frankfurt, Niko Kovac assume um Bayern de Munique multicampeão

A temporada passada do Bayern de Munique pode ter acabado com título, mas foi atípica. O time começou com o comando de Carlo Ancelotti e logo implodiu de forma nada normal, com Arjen Robben disparando que seu filho, na escola, tinha um treinador melhor que o italiano.

Ancelotti saiu e Jupp Heynckes, treinador da equipe antes da chegada de Pep Guardiola e de desempenho incrível, conquistando a Liga dos Campeões, foi tirado de sua aposentadoria. O Bayern recebeu um choque imediatamente e venceu 18 dos 21 jogos com Heynckes na Bundesliga, rumo a um título tranquilo.

Só que o veterano não quis mais uma temporada, voltando para a aposentadoria. E assim o clube foi atrás de Niko Kovac, 27 anos mais novo que Jupp Heynckes e campeão da Copa da Alemanha contra o próprio Bayern, dirigindo o modesto Eintracht Frankfurt, que não vencia um título desde 1988.

Kovac jogou no próprio Bayern nos anos 2000 e foi o treinador da Croácia, pátria dos seus pais e pela qual jogou na seleção, mesmo tendo nascido em Berlim Ocidental, na Copa do Mundo de 2014.  Ou seja, não estamos falando de alguém completamente verde.

E logo em sua chegada ele já teve que lidar com um pepino. Robert Lewandowski, artilheiro da equipe, foi ligado ao Real Madrid por meses. E o jogador nunca escondeu que poderia sair, também deixando claro que se sentiu desprotegido pela diretoria quando estava em má fase no fim da temporada passada.

Mas segundo o polonês, o apoio da torcida em Munique e as conversas que teve com Kovac demoveram ele da ideia. A diretoria também nunca esteve inclinada a negociá-lo.

O sonho dos rivais é que Kovac não seja tão eficiente com suas palavras e ideias e o elenco, cheio de jogadores com anos e anos de casa – Robben, Franck Ribery, Manuel Neuer, Thomas Muller – não façam questão de ouvi-lo. As chances são muito baixas.

Outras mudanças: o meio-campista Arturo Vidal foi para o Barcelona. Para variar a equipe conseguiu desfalcar um rival (Schalke 04), e de graça ainda, contratando Leon Goretzka, que foi para a Copa do Mundo servindo a seleção alemã.

Quem pode tirar esse título do Bayern?

A resposta na verdade é ninguém, mas vamos pelo menos dar uma chance para a dúvida. O Borussia Dortmund teve uma temporada de queda em 2017/18 e agora quer voltar a ser uma pedra no sapato dos bávaros, com o suíço Lucien Favre como treinador.

O time trouxe Axel Witsel, que estava na China e fez uma excelente Copa do Mundo com a seleção belga. O time, porém, pode sofrer sem uma peça de peso no comando de ataque. Pierre-Emerick Aubameyang ainda não tem substituto, com Maximilian Philipp devendo ganhar a oportunidade de provar o contrário.

axel Witsel
Witsel fez excelente Copa pela Bélgica e depois de passagem pelo futebol chinês, foi contratado pelo Borussia Dortmund

Marco Reus agora será o capitão da equipe, que perdeu uma figura de peso na questão liderança com a aposentadoria do goleiro Roman Weidenfeller.

O Borussia Dortmund parece ser o segundo melhor time da Alemanha mesmo.

Quem ocupou essa posição na Bundesliga passada foi o tradicional Schalke 04 (24 para 1 para ser campeão na Betfair), mas é difícil imaginar que Domenico Tedesco faça o mesmo milagre de subir o rendimento da equipe – 20 pontos de 2016/17 para 2017/18 – e assim alcançar os bávaros.

Já o RB Leipzig (36 para 1 para ser campeão) não foi tão bem na temporada passada como na retrasada. Conseguiu pelo menos segurar Timo Werner, que era um dos 800 jogadores que o Real Madrid teve interesse neste verão europeu.

Porém, 60 milhões de euros levaram Naby Keita para o Liverpool e Julian Nagelsmann, de apenas 31 anos e um fenômeno do banco, só chegará para comandar a equipe na próxima temporada, ficando mais um ano o Hoffenheim. Nagelsman, aliás, disse ter sido contactado pelo Real Madrid quando o clube espanhol procurava um substituto para Zinedine Zidane. O mais surpreendente é que isso não gerou surpresas porque ele é realmente bom assim.

julian nagelsmann
Ainda no Hoffenheim, Nagelsmann é um treinador de resultados inegáveis e já está acertado com o RB Leipzig para 2019

A Alemanha é o lar dos treinadores jovens prodígios como Tedesco (32 anos), Nagelsmann e até Kovac, que já tem mais experiência, mas ainda pode ser considerado novo para a profissão. Sorte deste último que o que mais importa para ganhar a Bundesliga é estar no comando do Bayern e ter os rios de dinheiro do clube da Baviera.

Quem será o artilheiro da Bundesliga?

É claro que aqui temos que começar por Robert Lewandowski, que já foi artilheiro da liga três vezes, inclusive na temporada passada, que como falei acima teve turbulência vindo de todos os lados. Mesmo assim ele teve 29 gols em 30 jogos em 2017/18. Dá para repetir?

O Bayer Leverkusen pode ser interessante neste ano e uma das razões para isso é Kevin Volland, que teve 14 gols na edição passada e deve subir de rendimento, já que ainda tem 25 anos. E seu companheiro pode ajudar muito: Paulinho, contratado do Vasco, ainda pode ser um pouco imaturo para o jogo complexo na Alemanha, mas ele mostrou força e faro de gol em seu início de carreira.

Dois croatas também devem citar isso. Kramaric, jogador do Hoffenheim, e Ante Rebic, jogador do Eintracht Frankfurt, já tinham feito bonito no futebol alemão antes da Copa. E o vice no Mundial só deu mais confiança a ambos, que agora podem mostrar que subiram de nível em seus respectivos clubes.

timo werner rb leipzig
Timo Werner já mostrou sua qualidade. Mas será que ele pode ser um dos melhores jogadores do mundo?

E por fim, Timo Werner. Rápido, com faro de gol (13 na Bundesliga passada) e jogador de Copa do Mundo, mesmo que a Alemanha tenha ido mal, todos estão olhando para Werner nesta temporada para saber se ele tem o necessário para dar o último pulo em sua carreira: de promessa para um dos melhores jogadores do mundo.

Conclusão

Toda Bundesliga precisa de um Bayern tropeção para ter alguma emoção. O elenco é sem dúvidas envelhecido, mas mesmo se Niko Kovac chegar com um choque de gestão e não for o treinador da galera, é muito difícil que o time perca a Bundesliga porque não tem um Borussia Dortmund de Jurgen Klopp atrás. O próprio Borussia também passa por mudanças.

Então resta ver a evolução dos jovens treinadores como Nagelsmann e Tedesco, saber se Werner será um jogador world class, se Paulinho conseguirá se firmar logo de cara no Bayer Leverkusen e muito provavelmente assistir no final do ano a comemoração em Munique.