Pensando no Real Madrid, PSG encara Olympique buscando maior tranquilidade

27

O Paris Saint-Germain tem como principal objetivo na temporada a conquista da Uefa Champions League. Mas antes de reverter o placar de 3 a 1 contra o Real Madrid, a equipe parisiense pode conseguir uma folga ainda maior no campeonato francês. Para isso precisa vencer o Olympique de Marselha, um dos seus grandes rivais e que atualmente está na terceira posição, um ponto atrás do vice-líder Monaco.

Só uma catástrofe tira o título francês do PSG, mas nunca é demais se garantir. Por isso, o jogo deste domingo é tão importante, já que uma vitória do time parisiense no Parque dos Príncipes deixa o Olympique de Marselha a 16 pontos do líder. Distância essa basicamente irreversível, já que faltariam 11 jogos para terminar o campeonato e 33 pontos em disputa.

neymar e cavani
A principal arma do PSG para vencer o Olympique é o ataque cheio de estrelas

A semana foi mais tranquila para o PSG que a anterior, quando ainda teve que encarar de perto a derrota na competição continental e os questionamentos que surgiram. O único que gerou notícias nesta semana foi a ausência de Neymar no treino de sexta-feira, mas que logo foi justificada: o atacante brasileiro sofre com um problema gastrointestinal. Mas por enquanto é mais provável que ele jogue do que o contrário. O treino de sábado será determinante para a decisão.

Já Marco Verratti sofre com dores abdominais  – o treinador Unai Emery disse que ele não está 100% –  e é uma dúvida maior para o jogo, que é conhecido como Le Classique (O Clássico).

O jogo no primeiro turno foi um dos maiores desafios do PSG em um Campeonato Francês tranquilo até o momento. Os dois times empataram por 2 a 2, com Edinson Cavani evitando a derrota dos líderes nos últimos momentos da partida.

E esse gol impediu que o Olympique alterasse uma escrita incômoda: desde 2012 a equipe não vence seu arquirrival da capital. Em jogos em Paris, o time de Marselha não sai vitorioso desde 2010.

cavani
Cavani impediu que o Olympique acabasse com um jejum incômodo contra o rival

E se sonhar com o título soa quase como uma ofensa, o terceiro colocado pode pelo menos querer a segunda posição, hoje do Monaco, porque ela dá uma vaga direta na Champions League da temporada seguinte. E outra: o Lyon está seis pontos atrás na quarta posição e quer entrar na zona da principal competição continental, mesmo que a terceira vaga não dê direito a um lugar na fase de grupos diretamente. O Lyon enfrenta o St. Etienne no outro clássico da rodada.

E falando em outras repercussões, na quarta-feira a Copa da França terá jogos das quartas de final e adivinhe qual será um dos duelos: Le Classique novamente.

Ou seja, antes mesmo de voltar a enfrentar o Real Madrid, o que acontecerá no dia 6 de março, o PSG terá que resolver sua situação local contra seu maior rival e o time com maior história e tradição na França.

Os próprios jogadores estão cientes do peso desses dois confrontos, especialmente o deste fim de semana, no que pode ser o domingo mais importante do futebol nacional nesta temporada. Javier Pastore e o goleiro Alphonse Areola destacaram a importância da torcida estar junto e mostrar que o PSG é o melhor time da França. Grupos de torcedores também apareceram nos treinos para apoiar os jogadores, depois da derrota para o Real ter feito a desconfiança subir um nível em relação ao destino da temporada.

Ou seja, tudo que o Paris Saint-Germain não quer é ter uma derrota para o Olympique na cabeça antes de enfrentar os atuais bicampeões europeus pela Champions. O Le Classique pode não ser o duelo que vai tirar o título francês do PSG, mas é o que dará tranquilidade em caso de vitória. Ou então colocará mais pressão no caldeirão em caso de derrota.