No momento que o sorteio colocou à frente o Manchester City – que já vinha com a fama de favorito para a conquista da Europa e disparado o líder do Campeonato Inglês – contra os suíços do Basel, o desequilíbrio ficou claro. Muitas vezes o futebol pode nos enganar, mas não foi o que aconteceu no primeiro jogo, na Basiléia, com o City fazendo 4 a 0 fora de casa.

man city
O Manchester City teve uma noite inspirada na Suíça e basicamente resolveu as oitavas

Até para os mais precavidos, uma vantagem dessas é considerada basicamente irreversível. Até no caso mais clássico, sempre citado quando se trata de Champions League e viradas improváveis, a situação era menos delicada para o time com desvantagem. O Deportivo La Coruña, depois de ter perdido por 4 a 1 o jogo de ida na Itália contra o poderoso Milan, fez 4 a 0 na Espanha e passou. Isso aconteceu na Liga dos Campeões de 2003/04.

O problema? O La Coruña era um time melhor que o Basel, o segundo jogo foi em casa e o 4 a 0 deu a classificação, enquanto um  4 a 0 do Basel em Manchester levaria para tempo extra. Ou seja, o improvável é mais improvável ainda.

Tudo porque o City entrou em campo com vontade de matar tudo ali mesmo. Ilkay Gundogan, Bernardo Silva e Sergio Aguero deixaram o jogo 3 a 0 quando mal tinha passado metade do primeiro tempo. E se no placar a blitz fica evidente, quem viu o jogo quase sentiu esse mesmo sufoco.

Os times de Pep Guardiola no Barcelona não eram conhecidos por cruzamentos e ultrapassagens pela lateral – Daniel Alves mesmo, adorava se infiltrar, mas não para cruzar e sim entrar na área e basicamente rolar a bola para quem viesse – mas ontem o City mostrou que Guardiola não proíbe qualquer forma de ataque. O primeiro gol saiu de escanteio, com Gundogan, que não é alto, ganhando de cabeça.

O segundo gol foi um cruzamento de Raheem Sterling, que passou pela defesa e chegou em Bernardo Silva, que acertou um belo chute. Porém, o goleiro Tomas Vaclik poderia ter feito mais e o mesmo pode-se dizer do terceiro gol, do argentino Aguero, que parece ter pegado Vaclik no contrapé. O atacante marcou seu 29º gol na temporada, que até agora é iluminada.

No quarto não dá para colocar qualquer tipo de culpa sobre o goleiro, já que Gundogan limpou o defensor e na entrada da área colocou a bola no ângulo em um lindo gol.

Onde Gundogan
Onde Gundogan colocou a bola, nem dois goleiros pegariam

Com a vantagem construída desde a primeira etapa, Guardiola pode tirar Kevin DeBruyne rapidamente e também não deixou Sergio Aguero finalizar o jogo. O Basel até teve suas chances e testou o goleiro Ederson, mas os atuais campeões suíços não são páreo. Apesar da boa primeira fase e até ter vencido o grande rival do City, o Manchester United, no St. Jakob-Park, os citizens estão voando e o Basel não conseguiu fazer sombra nem em seus próprios domínios.

O Manchester City assim tem tudo para chegar nas quartas de final pela segunda vez em sua história. Com uma certa dominância nacional, com dois títulos ingleses nos últimos anos e um terceiro muito bem encaminhado, a Europa é um sonho do time e isso não é escondido de ninguém. Nos últimos anos, o principal empecilho foi a Espanha, mais exatamente o Real Madrid e o Barcelona. E ainda teve o Monaco na temporada passada.

Só que dessa vez o Monaco não está na disputa, o Barcelona pega o Chelsea e o Real Madrid protagonizará o duelo mais importante destas oitavas de final, contra o PSG. Enquanto isso o City, de boa, recebe o Basel no dia 7 de março com um pé e meio nas quartas.