City e Chelsea começam bem; PSG faz esperado e Barça ganha título

16
Bernardo Silva comemora

Quem gosta de começar o sábado com futebol europeu rolando na televisão teve um café da manhã reforçado e um fim de semana completo, já que o futebol no Velho Continente começou sua temporada, de fato, nestes dias 11 e 12 de agosto.

A Premier League começou, assim como a Ligue 1. E na Espanha, mesmo sem La Liga, tivemos a Supercopa, com Barcelona e Sevilla terminando suas preparações com um jogo que valia mais que um amistoso. Vamos então aos tópicos.

Quem segura o City?

No primeiro jogo da Premier League, ainda na sexta-feira, o Manchester United começou sua campanha vencendo o Leicester por 2 a 1, com um jogo sensacional de Paul Pogba. E isso gera uma situação engraçada: Mourinho reclamou de não receber reforços e cobrou publicamente Pogba diversas vezes, ao ponto que muitos estão colocando o francês com uma passagem para Barcelona.

Então a pergunta está criada: quem fica mais tempo em Manchester? Pogba ou Mourinho?

Quem não tem esse problema é o Liverpool, que começou com um 4 a 0 contra o West Ham que não deixou espaço para dúvidas: o time pagou caro para se reforçar no verão e quer disputar a Premier League.

O Chelsea pode não ter essa moral, mas começou muito bem sua trajetória sob o comando de Maurizio Sarri com uma vitória de 3 a 0 contra o Huddersfield. Kanté, o ítalo-brasileiro Jorginho e Pedro fizeram os gols. O belga Eden Hazard começou no banco, já que se apresentou mais tarde depois da campanha da Bélgica na Copa. E mesmo em poucos minutos ele causou um verdadeiro salseiro, deixando os torcedores do Chelsea mais tranquilos: a equipe está bem, mesmo após a troca de treinador, a saída de Thibaut Courtois (e chegada de Kepa Arrizabalaga, que não foi testado neste jogo) e muitos boatos envolvendo Willian e o próprio Hazard.

Então temos Liverpool e Chelsea para responder a pergunta do intertítulo. O problema é que os dois enfrentaram times intermediários para baixo. A equipe de Pep Guardiola pegou o Arsenal em Londres e deu uma mostra de força, dominando o rival e vencendo por 2 a 0. Os gols foram marcados por Bernardo Silva, logo aos 14 minutos, e Raheem Sterling no segundo tempo.

É claro que o Arsenal precisa de um tempo para se adaptar ao novo treinador (Unai Emery) após 22 anos de Arsene Wenger. Por isso é até injusto pegar um time que fez 100 pontos na última Premier League e na segunda rodada encarar o Chelsea, mais pronto apesar de também ter mudado de treinador. A vitória dos blues paga 1,75 na Betfair, enquanto uma dos gunners paga 4,50.

Mas na Premier League é assim mesmo: não há vida fácil e o Manchester City parece imparável mais uma vez.

PSG faz a obrigação na França

Neymar PSG
Neymar, Rabiot e Weah foram os autores dos gols na vitória do PSG

Parece perseguição, mas o PSG não fez nada mais do que a obrigação ao vencer o Caen por 3 a 0 no jogo de abertura da Ligue 1. O jogo serviu para começar a redenção de dois jogadores que tiveram um verão – do Hemisfério Norte – horroroso. Neymar fez um gol logo aos 10 minutos e precisa usar esta temporada europeia para se reafirmar como um dos melhores do mundo.

Já Adrien Rabiot viu de casa a sua França vencer a Copa do Mundo e ficou queimado depois de ter recusado ficar na lista de suplentes dos 23 convocados, algo que o treinador da seleção, Didier Deschamps, criticou publicamente. Ele fez um gol aos 35 minutos. O placar foi fechado por Timothy Weah, filho do grande George Weah.

Curiosamente, o jogador que mais ganhou com a Copa, Kylian Mbappé, não jogou na partida, poupado após a longa campanha da França ter tirado ele de boa parte da preparação do PSG para a temporada.

A equipe da capital só não lidera o campeonato porque o Olympique de Marselha venceu o Toulouse por 4 a 0, mas todo mundo sabe que isso é questão de tempo.

Barcelona ganha título no Marrocos

Messi Barcelona Supercopa
Novo capitão do Barcelona, Messi já levantou seu primeiro título com a faixa, a Supercopa da Espanha

A Supercopa da Espanha não aconteceu na Espanha e sim no Marrocos. E ela trouxe mais novidades. O Sevilla testou o VAR com oito minutos e se deu bem: o time do sul da Espanha abriu o placar, mas o bandeirinha estava assinalando impedimento. Como o futebol finalmente chegou ao século XXI, o lance foi revisto e ficou provado que o bandeirinha estava errado. 1 a 0 para o Sevilla e o jogo logo esquentaria.

O empate do Barcelona veio com uma falta de Messi que bateu na trave e Piqué, esperto, completou para a rede. A virada só aconteceu no fim do jogo. Dembele, que pode ainda sair do clube, deu um belo chute para virar a partida e mostrar que talvez ele mereça sim um espaço no elenco após uma temporada de estreia ruim.

O goleiro Ter Stegen ainda cometeu um pênalti, mas Ben Yedder não soube aproveitar. No Marrocos, o Barcelona continua sendo o soberano da Espanha.